Serra nega que evite criticar Lula e diz que política "não é par ou ímpar"

"Não tenho dificuldade em dar crédito a quem fez coisas boas", afirmou

O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, negou, nesta quinta-feira (13), que esteja evitando um discurso negativo a respeito do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), cujo governo conta com alto índice de aprovação.

?Pra mim, política não é par ou ímpar. Não tenho dificuldade em dar crédito a quem fez coisas boas?, disse, em entrevista à Rádio Jornal, no Recife.

Na véspera, Serra afirmou que Lula é ?um homem simpático?. No Programa do Ratinho, no SBT, ele participou de uma espécie de jogo em que o apresentador diz uma palavra e o entrevistado diz uma frase a respeito.

Ratinho mencionou primeiro o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. "Um bom presidente", disse o tucano. Em seguida, o apresentador citou o petista. "Um homem muito simpático", respondeu.

Vice é ?angústia para jornalistas?

Questionado na entrevista à rádio sobre a definição do vice, o tucano brincou e disse que vice ?é uma angústia muito grande dos jornalistas?. Afirmou que ?dificilmente? será alguém do PSDB. O senador Francisco Dornelles (PP-RJ) é cotado para ocupar o lugar de vice. O PP, no entanto, ainda não se posicionou oficialmente sobre uma aliança com os tucanos.

Na entrevista, o tucano voltou a defender o investimento em escolas técnicas e profissionalizantes. Ele afirmou que as políticas públicas nesse setor têm que ser "massivas" e disse que, se for eleito, haverá vagas "saindo pela janela".

Almoço com Jarbas e Guerra

No Recife, Serra deve almoçar com o presidente do PSDB, o senador Sérgio Guerra (PE), coordenador da campanha, e com o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), que deverá se candidatar ao governo e, assim, garantir um palanque para Serra no estado, governado por Eduardo Campos (PSB), da base de Lula.

?[Jarbas] é um grande homem público, uma pessoa que merece respeito, um patrimônio de Pernambuco. Tudo o que tem aqui [em Pernambuco] tem a marca do Jarbas, as refinarias, [o porto de] Suape?, disse.

Fonte: g1, www.g1.com.br