Sete anos após registro, PSOL elege seu primeiro prefeito

Partido elegeu prefeito no RJ e disputa o 2º turno em Belém e em Macapá. Criado há um ano, PSD elegeu 494 prefeitos, atrás de PMDB, PSDB e PT

Sete anos após ser registrado pela Justiça Eleitoral, o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) elegeu no domingo (7) seu primeiro prefeito. Com 6.796 votos, o equivalente a 44,26% dos votos válidos, Gelsimar Gonzaga venceu a disputa pela Prefeitura de Itaocara, no Rio de Janeiro.

Apesar de ter representantes no Congresso Nacional, como o deputado Ivan Valente (SP) e o senador Randolfe Rodrigues (AP), o partido jamais havia conquistado um cargo no Executivo. A sigla também está, pela primeira vez, no segundo turno de uma eleição - em Belém (PA) e Macapá (AP) - e pode conquistar a sua primeira prefeitura de capital.

Em Belém (PA), o partido é representado por Edmilson Rodrigues, que foi prefeito da capital paraense por dois mandatos (de 1997 a 2000 e de 2001 a 2004), quando era do PT. No primeiro turno de 2012, Rodrigues teve 252.049 votos, o que representa 32,58% dos votos válidos. Ele vai disputar o segundo turno com Zenaldo Coutinho (PSDB), que recebeu 237.252 votos, o equivalente a 30,67% dos votos válidos.


Sete anos após registro, PSOL elege seu 1º prefeito e disputa duas capitais

Gelsimar Gonzaga, eleito em Itaocara (RJ), é o 1º prefeito eleito pelo PSOL (Foto: Reprodução/TSE)

Em Macapá (AP), o candidato do PSOL no segundo turno é Clécio, que recebeu 56.947 votos, ou 27,89% dos votos válidos, e vai disputar o cargo de prefeito com Roberto Goés (PDT), que teve 82.039 votos, ou 40,18% dos votos válidos.

PSD elege 494 prefeitos

Mais novo do que o PSOL, o Partido Social Democrático (PSD), criado há um ano, conseguiu 494 cidades em sua primeira eleição municipal. Com isso, o partido do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, foi o quarto que mais elegeu prefeitos no primeiro turno, atrás apenas de PMDB, PSDB e PT.

O Partido Trabalhista Nacional (PTN) e o Partido Social Democrata Cristão (PSDC) foram os partidos que conquistaram o menor número de prefeituras no Brasil, 11 e 8, respectivamente.

Fonte: G1