Síl­vio é can­di­da­to com a­poio do PMDB

Síl­vio Mendes tam­bém con­vi­dou os pee­me­de­bis­tas pa­ra a con­ven­ção do PSDB

O PMDB tem nas mãos o pe­so de de­ci­dir os ru­mos do pro­ces­so su­ces­só­rio de 2010 no Piauí. Re­lu­tan­te em se dec­la­rar pré-candidato ao Go­ver­no, o pre­fei­to de Te­re­si­na, Síl­vio Men­des (PSD­B), deu on­tem um pas­so im­por­tan­te na cons­tru­ção de uma cha­pa pa­ra dis­pu­tar as pró­xi­mas elei­ções. Jun­to com o se­cre­tá­rio mu­ni­ci­pal Lucia­no Nu­nes Fi­lho, o pre­fei­to fez uma vi­si­ta à se­de do PMDB, on­de a­ce­nou pa­ra a in­ten­ção de cons­truir uma alian­ça com o par­ti­do.

?Não é proi­bi­do fa­lar de po­lí­ti­ca, en­tão con­ver­sa­mos sim sob­re o as­sun­to?, dis­se. Men­des con­tou ain­da que o a­poio do PMDB se­ria cru­cial pa­ra o lan­ça­men­to de uma candidatura tu­ca­na. ?Não pro­pus ne­nhum a­cor­do por­que se­ria de­se­le­gan­te pa­ra o par­ti­do que es­tá na ba­se alia­da e tem seu pró­prio can­di­da­to, mas gos­ta­ria sim de uma u­nião com o PMD­B?, con­fes­sa, des­ta­can­do que, se o a­poio fos­se anun­cia­do ime­dia­ta­men­te, ele já se as­su­mi­ria co­mo can­di­da­to da o­po­si­ção.

Síl­vio tam­bém con­vi­dou os pee­me­de­bis­tas pa­ra a con­ven­ção do par­ti­do, que vai a­con­te­cer no pró­xi­mo dia 5 de de­zem­bro e em­pos­sa­rá Lucia­no Nu­nes co­mo no­vo pre­si­den­te es­ta­dual dos tu­ca­nos. Na reu­nião tam­bém es­ti­ve­ram pre­sen­tes go­ver­nis­tas do PMDB e entu­sias­tas da o­po­si­ção no par­ti­do, co­mo o se­cre­tá­rio de Go­ver­no Kle­ber Eulá­lio, o pre­si­den­te da Alepi, The­mís­to­cles Fi­lho, os de­pu­ta­dos War­ton San­tos e Mau­ro Tape­ty.

Fer­re­nhos de­fen­so­res da per­ma­nên­cia na ba­se, co­mo The­mís­to­cles, já mu­dam o tom do dis­cur­so ao tra­tar de uma u­nião com o PSDB. O de­pu­ta­do é co­ta­do co­mo prin­ci­pal no­me pa­ra com­por a cha­pa com os tu­ca­nos. Nes­se ca­so, Mar­ce­lo Cas­tro ten­ta­ria a ree­lei­ção pa­ra de­pu­ta­do fe­de­ral e The­mís­to­cles se­ria o vi­ce de Síl­vio Men­des. Ao con­fir­mar pre­sen­ça na con­ven­ção dos tu­ca­nos, o pre­si­den­te da A­le­pi, no en­tan­to, des­ta­cou que ho­je o PMDB ?ain­da es­tá na ba­se?.

?O pre­fei­to co­lo­cou seu pen­sa­men­to sob­re o Es­ta­do, mas não pos­so a­fir­mar se ele sai ou fi­ca no car­go. O PMDB tam­bém tem a­cor­dos com de­pu­ta­dos, pre­fei­tos, mui­tas ques­tões pre­ci­sam ser con­si­de­ra­das, mas on­de o par­ti­do es­ti­ver, es­ta­rá u­ni­do?, a­va­liou.

Na se­ma­na pas­sa­da foi a vez do vi­ce-governador Wil­son Mar­tins (PSB) en­con­trar-se com a cú­pu­la pee­me­de­bis­ta. Ele ne­go­ciou com a sigla o adia­men­to na da­ta de es­co­lha do can­di­da­to go­ver­nis­ta, de mar­ço pa­ra ju­nho.

O se­na­dor e pré-candidato João Vi­cen­te Clau­di­no (PTB) já re­cha­çou uma u­nião com o PSDB, e ga­ran­tiu que con­ti­nua na ba­se alia­da.

Enquan­to a ba­se alia­da equi­li­bra-se em qua­tro pré-candidatos e 11 par­ti­dos, o PSDB se­gue so­zi­nho e aguar­da o ra­cha do blo­co go­ver­nis­ta pa­ra cos­tu­rar uma alian­ça com um par­ti­do que dê es­tru­tu­ra aos tu­ca­nos no in­te­rior do Es­ta­do na a­cir­ra­da dis­pu­ta do ano que vem.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte