Temer aproveita 'recesso' para realizar nomeações no governo

O Planalto tem aproveitado o recesso na Câmara e Senado.

Com o objetivo de garantir o apoio dos partidos aliados e a unidade da base no Congresso Nacional, o Palácio do Planalto tem aproveitado o “recesso branco” na Câmara e no Senado para encaminhar as nomeações do chamado “segundo escalão” do governo, do qual fazem parte os cargos de chefia em empresas estatais, departamentos e órgãos vinculados a ministérios.

Segundo relatos de interlocutores da Presidência, nos últimos dias, a ordem interna tem sido “acelerar” as publicações no “Diário Oficial da União”. A intenção é que, com isso, logo que o Legislativo retomar os trabalhos, em agosto, a base aliada já esteja contemplada.

Como uma das formas de conseguir apoio de deputados e senadores em votações no plenário e nas comissões, o governo negocia com os partidos políticos e lideranças de bancadas as indicações para o segundo escalão.

Frequentemente, os responsáveis pela articulação política – Eliseu Padilha (Casa Civil) e Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) – são procurados por parlamentares, que levam a eles os nomes escolhidos pelas bancadas.

Para os próximos dias, por exemplo, dizem assessores do governo, é esperada a nomeação do novo presidente de Furnas. O mais cotado no Planalto é Ricardo Medeiros, atual diretor de Operação e Manutenção da empresa, e que conta com o aval do PMDB.

No caso de Itaipu, o governo diz que a indicação cabe ao DEM e que ainda espera uma definição do partido sobre o nome para comandar a estatal.

Enquanto isso, no Banco do Nordeste, afirmam interlocutores do Planalto, deverá ser confirmada até a semana que vem a permanência do atual presidente, Marcos Holanda, indicado pelo PMDB. Na Eletronorte, relatam assessores, ainda não há definição – a indicação também será do PMDB.

Para chefiar a Eletrobras, o governo já escolheu Wilson Ferreira Jr, que presidiu a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL). A nomeação dele, no entanto, ainda depende da assembleia geral de acionistas da empresa, marcada para o dia 22, que elegerá o novo Conselho de Administração da estatal.

Michel Temer (Crédito: Reprodução)
Michel Temer (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do G1