Teresa e Macêdo definem apoio esta semana

Os votos que 32 mil eleitores piauienses deram aos candidatos dos pequenos partidos no Estado

Os votos que 32 mil eleitores piauienses deram aos candidatos dos pequenos partidos no Estado serão disputados agora pelos dois candidatos que disputam o segundo turno nas eleições para o Governo estadual ? o governador Wilson Martins (PSB) e o ex-prefeito Sílvio Mendes (PSDB). Entre os nanicos, Romualdo Brazil (PSOL) e Geraldo Carvalho (PSTU), já adiantaram que deixarão os eleitores livres, sem apoiar ninguém oficialmente no dia 31 de outubro.

?Não considero que os candidatos que disputam o segundo turno representam a classe trabalhadora. O PSTU vai votar nulo?, disse Geraldo. Ele afirmou ainda que a campanha socialista pelo comando do Palácio de Karnak foi ?positiva?. ?Conseguimos discutir o socialismo e sairemos mais fortes?, disse. Já Romualdo Brazil, ressaltou que a ?missão do PSOL foi cumprida?. ?Foi uma eleição muito difícil com a Justiça Eleitoral tentando nos impedir de ter candidatura própria?.

Romualdo destacou que se surpreendeu com os 1.445 votos recebidos. ?Fiz campanha de carona e andando de ônibus?, justificou. Sobre o segundo turno, ele frisou que o PSOL não dará apoio nem à Wilson nem a Sílvio. ?Não iremos participar do segundo turno, defendemos outro projeto político?, explicou. O Pastor Francisco Macêdo (PMN), por outro lado, aguarda uma orientação da Executiva nacional do PMN para consolidar a aliança do segundo turno.

?Nacionalmente estamos coligados com o PSDB e sou um soldado do partido. Não iremos tomar uma medida isolada. Falei com o presidente do partido e esta semana ainda teremos uma posição?, afirmou. A vereadora Teresa Britto (PV) irá se reunir hoje com a Executiva estadual da sigla para definir os rumos do PV no segundo turno.

?A decisão é do colegiado, mas queremos apoiar alguém que respeite três eixos principais: social, econômico e ambiental de maneira sustentável?, disse. Britto afirma ainda que teve uma votação ?boa?, apesar da pouca estrutura de campanha. ?Todos se engajaram ao máximo, mas a votação foi boa no interior e na capital diante das condições que tínhamos?, disse. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte