Teresina registra avanços na Assistência Social em 2015

O evento foi aberto pela secretária municipal do Trabalho

A Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social (SEMTCAS), reuniu gestores e técnicos da área para avaliar as ações desenvolvidas ao longo deste ano. O Seminário de Avaliação das Ações 2015 reuniu os servidores para uma intensa mostra dos resultados, das dificuldades e dos desafios a serem enfrentados na assistência social. Os dados apontam diversos avanços em índices importantes, registrados na Proteção Social Básica, na Proteção Social Especial, na Renda Mínima e na Segurança Alimentar, entre outras divisões. O investimento total/médio nessa área é de R$ 39 milhões.

Mauricéia Carneiro (Crédito: Reprodução)
Mauricéia Carneiro (Crédito: Reprodução)


O evento foi aberto pela secretária municipal do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social, Mauricéia Carneiro, que destacou a importância da avaliação das atividades desenvolvidas em 2015, perpassando pelo trabalho intersetorial e seus impactos para implementação do SUAS, o Sistema Único da Assistência Social. Na ocasião, ela classificou a Política de Assistência Social como um trabalho contínuo e que não pode parar. Segundo Mauricéia, apesar dos transtornos em relação à crise econômica com a redução de repasses federais, a SEMTCAS optou por ajustes e otimizou os recursos para não prejudicar a qualidade dos serviços oferecidos aos usuários.

Mauricéia Carneiro conclamou todos os profissionais da SEMTCAS para discutir e avaliar 2015, percebendo as possibilidades de crescimento para o ano de 2016. “Vamos acreditar na Política de Assistência Social. Hoje, temos um compromisso profissional e pessoal com esse setor tão importante na vida de muitas pessoas”, disse.

O Seminário de Avaliação também contou com a participação do Governo do Estado, com a presença da diretora do SUAS na Secretaria de Estado da Assistência Social e Cidadania (SASC), Kalliandra Gualter. Na oportunidade, Gualter proferiu palestra mostrando os avanços a partir da análise do Censo SUAS 2014, traçando estratégias que podem ser pensadas e articuladas para qualificar e melhorar a avaliação e planejamento dos serviços da SEMTCAS no município de Teresina. Ela enalteceu a criação do SUAS e destacou a importância de fortalecer as parcerias entre os Governos Federal, Estadual e Municipal.

Em sua exposição, a Gerência de Proteção Social Básica destacou números importantes: foram registrados 135.000 atendimentos individualizados às famílias (em todas as unidades), sendo 95.000 para famílias em vulnerabilidade social referenciada. Pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) foram realizados 6.297 atendimentos. Ainda na Proteção Básica, a SEMTCAS registrou 180 eventos comunitários, 84 manhãs de convivência, 4.150 emissões de Passe-Livre para idoso e 1.748 para pessoa com deficiência, além de capacitação de 544 pessoas/profissionais.

Nos serviços de Proteção Social Especial, que são divididos em média e alta complexidade, foram divulgados os seguintes dados: no Centro Dia foram 28 atendimentos, em média, por dia, propiciando interação social, convivência grupal e conquista da autonomia; no Centro de Referência em Direitos Humanos (CRDH) foram 426 atendimentos e encaminhamentos pelo Disque 100 e 26 pelo Disque Cidadania; na Central de Libras foram 1.275 atendimentos, oferecendo o direito à comunicação sem barreiras; no Centro Pop foram 916 atendimentos, envolvendo 247 pessoas em situação de rua, com destaque para os avanços: 11 delas foram retiradas da rua e reinseridas no convívio familiar e 52 inscritas no Cadastro Único.

Ainda no Centro Pop 6.460 fichas para refeição no Restaurante Popular de Teresina foram distribuídas às pessoas em situação de rua. O Centro também passou a contar com uma equipe do Serviço de Abordagem Social (SEAS): Teresina passa a contar com cinco equipes, sendo 04 nos CREAS (uma em cada) e uma no Centro Pop.

Na alta complexidade foram divulgadas as seguintes informações: a Casa Reencontro realizou (em rotatividade) 48 acolhimentos às crianças, com a reinserção no seio familiar de 28 delas; na Casa de Punaré foram, em rotatividade, 24 acolhimentos; na Casa do Caminho foram 6.478 atendimentos, com 229 pessoas acolhidas e 17 delas inseridas no mercado de trabalho; no Lar de SantAna foram 17 acolhimentos.

Entre outros dados importantes, a SEMTCAS concluiu o Seminário de Avaliação das Ações de 2015 mostrando unanimidade entre servidores e técnicos: os avanços foram muitos. O evento também abriu espaço para o debate e mostrou as principais dificuldades enfrentadas ao longo do ano, colocadas em debate a fim de que sejam sanadas em 2016.

“Avaliar é sempre muito importante para qualquer política pública, especialmente na assistência social, em que observamos avanços, dificuldades, mas, sobretudo, nossas potencialidades. Esse tem sido nosso compromisso: tornar a assistência social ainda mais abrangente. Houve melhoria significativa na estrutura das unidades, possibilitando mais conforto ao usuário; houve melhoria no atendimento, com a contratação de novos profissionais, mais bem capacitados; também houve um intenso trabalho de descentralização da política de assistência social, que chegou, neste ano, à população de terreiros, ribeirinhos e assentamentos, entre outros. Por esses motivos podemos, sim, comemorar o ano de 2015 em relação à assistência social”, finalizou Mauricéia Carneiro.

Fonte: Ascom