Testemunha do mensalão do DF diz ter recebido bilhete que seria de Arruda

Testemunha do mensalão do DF diz ter recebido bilhete que seria de Arruda

Governador do DF teria enviado amigo para tentar suborno. Em nota, Arruda diz que houve armação contra ele

O governador do Distrito Federal (DF), José Roberto Arruda, é suspeito de enviar um amigo para tentar subornar uma testemunha do mensalão do Democratas (DEM), o jornalista Edson Sombra, que concedeu entrevista exclusiva ao "Jornal da Globo".

Sombra é o pivô do mais novo capítulo do escândalo do mensalão do DEM no DF. Ele denunciou e a Polícia Federal (PF) gravou (em vídeo) o que seria o momento em que um suposto emissário do governador José Roberto Arruda entregaria a ele R$ 200 mil em dinheiro.

Seria a primeira parcela do pagamento de um suborno para que ele dissesse que as imagens do escândalo foram montadas, que seriam uma farsa.

Depois de prestar depoimento à PF, Edson Sombra disse que primeiro ele foi procurado pelo deputado distrital Geraldo Naves.

Edson Sombra: ?Recebi alguns telefonemas do deputado Geraldo Naves querendo falar comigo. Certo dia, ele veio aqui, e disse que estava vindo a mando do governador Arruda, que precisava de ajuda para sair da crise em que se encontra. Pedi que houvesse uma prova. Ele me trouxe um bilhete feito pelo governador. É facil identificar a letra dele?.

O bilhete original está sendo periciado pela PF. Tem seis tópicos. Num deles, na frente do nome Geraldo a frase: ?tá valendo?. Abaixo, "GDF Ok".

Na entrevista, Sombra diz que não quis negociar com Naves. E sugeriu o nome de Wellington Moraes, secretário de comunicação de Arruda, que aparece num vídeo gravado por Edson Sombra. Mas, no final, por decisão que teria sido do próprio Arruda, quem fechou a negociação foi Antonio Bento, que está preso.

Edson Sombra procurou a PF, e no dia 21 de janeiro prestou o primeiro depoimento relatando a suposta tentativa de suborno. Foi quando a polícia passou a acompanhar a negociação. Sombra também entregou os vídeos que gravou com Wellington Moraes e Antonio Bento.

Segundo Sombra, o suposto suborno seria pago de várias maneiras.

?R$ 1 milhão em dinheiro vivo... mais R$ 250 mil de mídia/mês... R$ 200 mil cash por fora para fazer depoimento desmentindo Durval, que os videos são montados...basicamente?.

Antonio Bento está preso, e, segundo fontes da polícia, teria dito em depoimento que o dinheiro para pagar Edson Sombra lhe foi entregue por Rodrigo Arantes, sobrinho do governador que aparece num vídeo que deu origem ao escândalo.

Outro lado

O secretário de comunicação Wellington Moraes disse que foi procurado por Edson Sombra para intermediar um encontro com o governador Arruda, mas que o pedido foi negado.

O deputado distrital Geraldo Naves disse que entregou sim um bilhete do governador Arruda a Edson Sombra, mas que o bilhete era apenas para esclarecer ao jornalista que não havia veto do governo a verbas de patrocínio para o jornal dele.

O governador José Roberto Arruda divulgou nota negando qualquer envolvimento na suposta tentativa de suborno. Disse que houve ?armação? por parte do grupo de Durval Barbosa e que Antonio Bento é empregado do jornalista Edson Sombra, íntimo colaborador de Durval Barbosa.

Fonte: g1, www.g1.com.br