TRE condena relator de impeachment a pagar multa de crime eleitoral

A assessoria do parlamentar nega as acusações.

Relator do processo de impeachment da presidente Dilma Roussef (PT) na Câmara Federal, o deputado Jovair Arantes (PTB-GO) foi condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) a pagar multa eleitoral de R$ 25 mil. Segundo a denúncia, ele utilizou um funcionário da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para trabalhar em seu comitê de campanha durante as eleições de 2014 sem que o servidor estivesse licenciado do cargo público. A assessoria do parlamentar nega as acusações. Cabe recurso da decisão.

A decisão é do juiz Fábio Cristóvão de Campos Faria e foi expedida na segunda-feira (18), um dia após a votação da admissibilidade da ação que pede a destituição de Dilma, procedimento relatado por Jovair. Conforme o documento, o deputado usou o servidor durante os meses de agosto e setembro de 2014 como cabo eleitoral e para executar tarefas administrativas em seu comitê de campanha.

O deputado se defendeu e disse que é inocente. Ele admitiu que conhece o servidor e que ele esteve em seu comitê de campanha, mas que não estava a trabalho, pois gozava de férias no período citado. "Não concordo com a condenação. Segundo ela, alguém que é funcionário público trabalhou na minha campanha. Ele, segundo as informações, estava de férias naquele período. Vamos recorrer e tenho certeza que a sentença vai ser reformada. Absolutamente, não houve irregularidade", afirmou.

Jovair Arantes (Crédito: Reprodução)
Jovair Arantes (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do G1