TRE julga mais quatro prefeitos do Piauí por fraudes em eleição

Poderão perder os mandatos os gestores dos municípios de Cabeceiras do Piauí, Landri Sales, Prata do Piauí e Palmeira do Piauí.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI) julga esta semana quatro prefeitos piauienses acusados de

terem praticado compra de votos, abuso de poder econômico e conduta vedada ao agente público durante as eleições de 2008. Poderão perder os mandatos os gestores dos municípios de Cabeceiras do

Piauí, Landri Sales, Prata do Piauí e Palmeira do Piauí.

Na terça-feira será julgada uma representação do município de Cabeceiras do Piauí, onde o prefeito da cidade, José Arimatea Veloso Machado, é acusado do crime eleitoral de conduta ofensiva à legislação. O candidato que perdeu o pleito municipal, José Joaquim de Sousa Carvalho, é o autor da ação. O juiz José Acélio Correia é o relator do caso.

Outra representação na pauta do TRE-PI desta terçafeira é a que acusa o prefeito e vice-prefeito do município de Landri Sales, Abderval Pereira de Sá, e Delismon Soares Pereira, respectivamente,

e o vereador Josué Soares Pereira de captação ilícita de sufrágio e prática de conduta vedada ao agente público. A coligação ?A vitória que o povo quer?, formada pelo PTB, PT, PMDB e PR, é a autora da ação, que tem como relator o juiz Jorge da Costa Veloso.

A Corte julga ainda uma Ação de Impugnação de Mandato Eletivo originada da cidade de Prata do Piauí

relativa às eleições de 2008. O prefeito, Ludmar Pereira da Silva e o vice-prefeito Luís Rodrigues do Nascimento são acusado de captação ilícita de sufrágio e abuso de poder econômico . É solicitada a perda do mandato e a inelegibilidade dos gestores.

Ana Maria de Macêdo Pereira, candidata ao cargo de prefeito de Prata do Piauí, nas eleições 2008, e a coligação ?Unidos para vencer?, formada por PSB, PT, PMDB, PC do B e PR são os autores da ação, que tem como relator o juiz Manoel de Sousa Dourado.

Na segunda-feira será julgada a representação de Palmeira do Piauí relativa às eleições de 2008. O prefeito da cidade, João da Cruz Rosal da Luz, é acusado de captação ilícita de sufrágio. A coligação ?Unidos por uma Palmeira melhor?, formada pelo PSB, PRB, PP, PMDB, PPS e PL, foi a autora da ação. O juiz Luiz Gonzaga Soares Viana Filho é o relator do processo.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte