Roberto John tem indeferimento mantido

O petista tentava uma vaga na Câmara Federal enquanto Saraiva buscava uma cadeira no Senado.

O período eleitoral foi o motivo alegado para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI) negar a divulgação de propaganda do Governo estadual sobre o programa Ronda Cidadão. A Corte decidiu, por unanimidade, que a distribuição de imãs de geladeira e panfletos nas ruas de Teresina e outras cidades piauienses sobre o programa de segurança pública lançado pela gestão do governador Wilson Martins (PSB), poderia ser confundida com promoção pessoal, já que Wilson também concorre à reeleição.

O procurador do Estado, Kildere Ronne, afirmou que não irá recorrer da decisão. O relator do caso foi o juiz Kássio Nunes Marques. Os recursos dos candidatos que pretendem disputar o pleito deste ano e tiveram os registros indeferidos continuam sendo julgados pelo TRE-PI, que manteve o indeferimento da candidatura do ex-superintendente de Representação do Estado, Roberto John (PT) e de Joaquim Saraiva (PR).

O petista tentava uma vaga na Câmara Federal enquanto Saraiva buscava uma cadeira no Senado. Ambos tiveram as prestações de contas de eleições passadas reprovadas. Os dois candidatos irão recorrer da decisão no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os magistrados também condenaram à multa o prefeito de Cocal, Fernando Sales de Sousa Filho, por propaganda eleitoral irregular. No pleito de 2008 ele teria distribuído cartazes com CNPJ do fornecedor ilegível. O juiz Marcelo Cavalcante de Oliveira foi o relator do processo.

Já o prefeito do município de Barro Duro, Deusdete Lopes da Silva, foi inocentado da acusação de compra de votos e gastos ilícitos de recursos. A ação contra o gestor municipal foi impetrada pelo candidato que perdeu a eleição de 2008, Raimundo Nonato Bispo Evangelista. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte