Três presos do caso Mensalão são transferidos para Minas Gerais

Romeu Queiroz, Samarane e Salgado saíram do presídio da Papuda (DF). Outras duas transferências devem ser efetivadas nesta segunda ou terça.

Três presos do mensalão que estavam na penitenciária da Papuda, nos arredores de Brasília, foram transferidos na manhã desta segunda-feira (23) para Minas Gerais - o ex-deputado federal Romeu Queiroz e os ex-dirigentes do Banco Rural Vinícius Samarane e José Roberto Salgado. As informações são do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Eles chegaram em Belo Horizonte às 11h30 em voo comercial, onde estavam algemados e nas últimas poltronas da aeronave. Cada um foi acompanhado por dois agentes penitenciários federais.

Romeu Queiroz cumprirá pena de 6 anos e 6 meses por corrupção passiva (2 anos e 6 meses) e lavagem de dinheiro (4 anos) na penitenciária José Maria de Alkmin, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Queiroz pediu autorização para trabalhar em sua empresa de consultoria, mas o presidente do Supremo, ministro Joaquim Barbosa, definiu que o juiz da Vara de Execuções Penais (VEP) de Ribeirão das Neves é quem decidirá sobre o pedido.

Salgado foi condenado a 16 anos e 8 meses de prisão. Samarane vai cumprir pena de 8 anos e 9 meses.

Os ex-dirigentes do Banco Rural cumprirão pena em regime fechado na penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, no mesmo presídio onde está o goleiro Bruno Fernandes, condenado após acusação de mandar matar a ex-amante Eliza Samudio.

Na sexta-feira (20), Barbosa autorizou as transferências de Pedro Corrêa para Pernambuco e de Pedro Henry para o Mato Grosso. Ambos foram condenados a 7 anos e 2 meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os dois devem ser transferidos nesta segunda (23).

Pedro Henry está preso na Papuda, em Brasília, há dez dias, desde que renunciou ao mandato de deptuado federal, em 13 de dezembro. No mesmo dia, ele se entregou à Polícia Federal.

Pedro Corrêa também está preso na Papuda desde o dia 5 de dezembro, após se entregar à Superintendência da Polícia Federal em Brasília.

Transferências

Até agora, o Supremo autorizou sete transferências no processo do mensalão, as de Pedro Henry e Pedro Corrêa e de outros cinco condenados para Minas Gerais.

A ex-funcionária de Marcos Valério Simone Vasconcelos e a ex-dirigente do Banco Rural Kátia Rabello já estão em Belo Horizonte, além dos três que foram distribuídos para Ribeirão das Neves e Contagem.

Dos 25 condenados, 21 já começaram a cumprir as penas - um deles está foragido, o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato.

Fonte: G1