Tribunal de Justiça do Piauí demite mais 100 servidores seguindo recomendações do CNJ

O vice-presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Ribamar de Oliveira, declarou que o Poder Judiciário

O presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, desembargador Raimundo Nonato Alencar, informou que demitiu 100 servidores ocupantes em cargos comissionados. Ele afirmou que as últimas demissões estão sendo feitas neste mês. O desembargador disse que é possível ter chegado 87% do orçamento do Tribunal de Justiça do Piauí com os gastos com pessoal.

?Pode até chegar a esse percentual, mas diminuiu bastante, inclusive com a destituição e exoneração de inúmeros de cargos comissionados?, declarou. Raimundo Nonato Alencar disse que as demissões já tinham sido previstas em lei e também seguiram as determinações do CNJ (Conselho Nacional de Justiça). O desembargador informou que a situação do Judiciário do Piauí está praticamente ajustada à atual legislação. Ele disse que a dotação do Tribunal de Justiça do Piauí é insuficiente e vai discutir com o governador Wellington Dias (PT) para aumentar o repasse.

O vice-presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Ribamar de Oliveira, declarou que o Poder Judiciário é contemplado com recursos ínfimos para investimentos. ?Temos muitas dificuldades na capital, nós precisamos de novos juízes, de estrutura e de assessores jurídicos. Não somos contemplados com o que merecemos e isso repercute no nosso trabalho porque a sociedade tem necessidade de uma Justiça mais ágil. Nós dependemos de recursos para isso?, falou o desembargador.

Ele informou que existem 60 mil processos acumulados desde 2005 nas Varas e Comarcas e 1.200 no Tribunal de Justiça do Piauí, que é de segunda instância.

Fonte: Efrém Ribeiro, Jornal Meio Norte / meionorte.com