TSE investiga o cancelamento de 3.657 títulos de eleitor em Alagoas

O estado, no entanto, foi o único que, por opção própria, ainda não fez o simulado das eleições.

A Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral investiga a causa do cancelamento de mais de 3.657 títulos de eleitor em Alagoas, ocorrido durante o processo de cadastramento biométrico. A ministra Nancy Andrighi, corregedora-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), veio a Maceió nesta sexta-feira (14), acompanhada do secretário de Tecnologia da Informação do órgão, Giuseppe Janino, para apurar o caso.

Eleitores de quatro Zonas deixarão de votar nas eleições deste ano por conta do problema, que começou a ser apurado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL) em agosto e passou para a Corregedoria-Geral do TSE. Ainda não se sabe o que causou o cancelamento dos registros de eleitores, mas a situação não põe o pleito em risco, segundo o juiz da 54ª Zona Eleitoral, Domingos de Araújo Lima Neto.

A presidente do TSE, ministra Carmen Lúcia Antunes, que também está em Maceió nesta sexta em reuniões com os juízes eleitorais alagoanos, afirmou que problemas deste tipo são ?naturais durante o processo de aperfeiçoamento do sistema eleitoral?.

Segundo o TRE, o problema atinge a 54ª Zona de Maceió (1.503 eleitores), a 4ª Zona de Anadia (142), a 27ª Zona de Mata Grande (681) e da 55ª Zona, que engloba Arapiraca, Feira Grande e Lagoa da Canoa (1.331). Na 55ª, o problema aconteceu especificamente com as pessoas que deixaram para fazer a biometria nos dois últimos dias de cadastramento ? 8 e 9 de maio. Já nas demais Zonas afetadas, foram cancelados títulos de pessoas que fizeram a biometria entre 16 de janeiro e 16 de fevereiro.

A ministra Carmen Lúcia ressaltou que Alagoas e Sergipe receberão atenção especial durante as eleições deste ano, pois são os dois únicos estados do país a ter 100% da biometria implantada. ?Alagoas será um teste, um exemplo para todo o Brasil?, afirmou.

O estado, no entanto, foi o único que, por opção própria, ainda não fez o simulado das eleições. O presidente do TRE/AL, desembargador Orlando Manso, afirmou que a simulação não pôde ser realizada porque todo o estado estava envolvido nos problemas do cadastramento biométrico. O simulado está agendado para a próxima quinta-feira (20).

Segurança de juízes

A presidente do TSE ressaltou, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (14), que o Tribunal dará todo o apoio à segurança dos juízes eleitorais que se sentirem ameaçados. ?Qualquer juiz que sentir necessidade deve procurar imediatamente o TSE, que, sem burocracia nenhuma, atenderemos às solicitações?, afirmou a ministra Carmen Lúcia.

Fonte: UOL