TSE suspende eleição suplementar no município do PI

Os gestores foram acusados de terem praticado os crimes de abuso do poder político

O município de Antônio Almeida, localizado a 395 km de Teresina, não terá mais eleição suplementar. A decisão foi tomada na última sexta-feira pelo ministro Aldir Passarinho Júnior, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O pleito extemporâneo iria escolher os novos prefeito e vice-prefeito da cidade e estava marcado para o próximo dia 15 de maio.

O prefeito cassado, Alcebíades Borges, moveu uma ação cautelar contestando na Corte Superior o julgamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI), que havia sido realizado em fevereiro deste ano. Alcebíades Borges e Antônio César Pereira Damasceno, ex-vice-prefeito, foram acusados pelo representante do Ministério Público Eleitoral na 78º zona em uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE).

Os gestores foram acusados de terem praticado os crimes de abuso do poder político, econômico e de autoridade, compra de votos, uso indevido de veículo ou meios de comunicação durante as eleições de 2008. O desembargador Haroldo Rehem foi o relator do caso. O TRE-PI condenou os gestores por unanimidade e o ex-prefeito foi condenado ainda a pagar uma multa de R$ 30 mil.

Outra eleição suplementar marcada pelo TRE-PI para o próximo dia 15 de maio, no entanto, está mantida. No dia 24 de janeiro a Corte confirmou a cassação do prefeito de Sigefredo Pacheco, município localizado a 160 km de Teresina, João Gomes Pereira Neto, e sua vice, Francisca de Araújo Matos. Os gestores foram acusados de abuso de poder político e econômico

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte