Uma "grande nação"  não se mede pelo PIB, afirma Dilma Rousseff

Uma "grande nação" não se mede pelo PIB, afirma Dilma Rousseff

Presidente afirmou que país deve ser medido "pelo que faz pelas suas crianças"

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira (12) que não é o Produto Interno Bruto (PIB) que deve medir o país, mas sim as ações do governo voltadas para crianças e adolescentes. Ela participou da 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, que está sendo realizada em Brasília, entre 11 e 14 de julho.

?Uma grande nação deve ser medida por aquilo que faz pelas suas crianças e seus adolescentes. Não é o Produto Interno Bruto, é a capacidade de o país, do governo e da sociedade, de proteger o que é o seu presente e o seu futuro, que são suas crianças e seus adolescentes?, afirmou a presidente arrancando muitos aplausos da plateia formada majoritariamente por adolescentes.

A previsão oficial do Ministério da Fazenda para o crescimento da economia brasileira neste ano está em 4%. Entretanto, o ministro Guido Mantega tem se comprometido com o objetivo de crescer mais do que 2011 (2,7%). Já o Banco Central reduziu a projeção do PIB de 3,5% para 2,5% neste ano. Já o mercado financeiro projeta uma expansão da economia ao redor de 2% em 2012.

A presença de Dilma na conferência nesta manhã foi muito aguardada pelos jovens que vieram a Brasília.

Isso porque a presidente acabou frustrando a expectativa de quem esperava vê-la durante a abertura da conferência, na tarde desta quarta-feira, e cancelou em cima da hora sua ida. O motivo, segundo informou o Planalto, teria sido incompatibilidade de agenda.

Durante discurso, a presidente destacou as ações de seu governo voltadas para áreas sociais, sobretudo aquelas cujo foco são jovens e adolescentes, como o ?Brasil Carinhoso?. Ela lembrou que, durante muito tempo o país ?conviveu com uma situação lamentável e terrível?.

?Milhões e milhões de crianças ficaram relegadas a um plano absolutamente impensável, sem cuidado, sem carinho e sem proteção do Estado e também sem condições de viver com suas famílias porque o país não protegia sua população?, afirmou.

?Nós mudamos isso?, disse a presidente antes de afirmar que tem orgulho de ter participado do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de destacar o programa de transferência de renda, Bolsa Família.

Ensino integral

Dilma prometeu que, até o final de 2014, o país terá 60 mil escolas de ensino fundamental e médio em turno integral. Atualmente, há 33 mil escolas deste tipo. A presidente ponderou, no entanto, que mais tempo na escola não pode servir apenas para ter atividades extracurriculares, mas também para ter aulas de reforço.

?Escola de tempo integral não é só para tirar nossos jovens da rua, mas é para garantir ensino de padrão de primeiro mundo pros nossos jovens e nossas crianças?. Dilma disse ainda que seu governo ficará ?atento? para a qualidade do ensino em dois turnos.

?Nós temos de ter um país com jovens, adultos e crianças com grande nível de escolaridade porque nós vamos disputar sim o que é a economia moderna, que é a economia do conhecimento, aquela que agrega valor, a internet, as tecnologias de informação?, afirmou.

Para Dilma o Brasil ?vai ser um país desenvolvido quando todas as crianças desse país e seus jovens tiverem acesso a educação de qualidade?.

Fonte: G1