Vereadora defende que ‘encoxadores' sejam atirados de ônibus em movimento no Brasil

Vereadora defende que ‘encoxadores' sejam atirados de ônibus em movimento no Brasil

O projeto de lei, do vereador Rogério Campos (PSC), acabou derrubado após apenas sete dos 31 parlamentares apoiarem a medida. Mas não ficou só nisso

Semelhante à ideia do vagão rosa no metrô de São Paulo, a ideia de oferecer ônibus exclusivos para mulheres movimentou as discussões dos vereadores de Curitiba na última segunda-feira (17). O projeto de lei, do vereador Rogério Campos (PSC), acabou derrubado após apenas sete dos 31 parlamentares apoiarem a medida. Mas não ficou só nisso.

Nove vereadores foram à tribuna para falar do tema. A passagem mais memorável coube a Julieta Reis (DEM). Contrária ao projeto, que previa o uso exclusivo de 20% da frota da capital paranaense por mulheres, a vereadora deu a sua ‘receita’ para lidar com os ‘encoxadores’ do transporte público.

“Nós, mulheres, temos que aprender a nos defender. E homem sem-vergonha merece ser jogado para fora do ônibus, com ele em movimento”, sentenciou, em declarações reproduzidas pelo site da Câmara Municipal.

Julieta Reis ponderou a dificuldade que casais enfrentariam com a medida, assim como mães e filhos adolescentes. Para ela, trata-se de “uma questão comportamental, doença mesmo" e que “precisa ser tratada”. Ela complementou a sua opinião na sua página no Facebook.

O projeto era polêmico desde o início da sua tramitação, em agosto de 2013. Nas galerias, manifestantes a favor e contra a medida trocaram gritos de ordem, mas não houve registro de algum incidente mais sério. Todavia, a decisão dos parlamentares paranaenses foi mais sábia do que a dos seus colegas em São Paulo.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) vetou em agosto deste ano um projeto de lei aprovado pelos deputados estaduais, o qual criava um vagão exclusivo para mulheres nos trens do Metrô e da CPTM – o chamado ‘vagão rosa’. O ‘incentivo à segregação’ foi uma das justificativas para o veto, também pedido por organizações feministas e que defendem o direito da mulher.

No Legislativo federal, há um projeto de lei que prevê até mesmo a prisão para 'encoxadores' que pratiquem abusos no transporte público em todo o País. Pode ser um alento para regulamentar o problema em âmbito nacional.

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

 

Fonte: Brasil Post