Vereadores denunciam obras fantasma em THE

As obras não realizadas estavam previstas no Orçamento Popular de 2006, 2007 e 2008

Os vereadores Décio Solano, Rosário Bezerra (PT) e R. Silva (PP) denunciaram ao Ministério Público Estadual uma lista de obras apresentadas como feitas pela Prefeitura de Teresina em um relatório editado e divulgado no aniversário da cidade. Os promotores agora vão abrir processos investigativos para apurar a denúncia dos vereadores.

O vereador Décio Solano disse que os parlamentares encaminharam para o MP as obras que as associações de moradores e conselhos populares lutaram para que fossem feitas com recursos reservados para o Orçamento Popular, mas que a PMT não executou.

As obras não realizadas estavam previstas no Orçamento Popular de 2006, 2007 e 2008. ?Algumas obras sequer foram iniciadas, outras foram iniciadas e nunca concluídas?, declarou Décio Solano.

Ele afirmou que a construção da biblioteca para o bairro Cidade Jardim, na zona Leste de Teresina, foi aprovada no Orçamento Popular de 2006, e nunca foi iniciada. ?A Prefeitura vem com a falácia de que suspendeu este ano a aplicação dos recursos do Orçamento Popular, mas vem fazendo isso sistematicamente?, declarou Décio Solano, lembrando que as associações de moradores disputam em inúmeras assembleias para colocar suas obras e não têm nenhum retorno.

Décio Solano declarou que foram identificadas obras que foram dadas como feitas, mas que não foram realizadas.

?São ruas que aparecem como calçadas e não estão. Nós temos fotografias para provar isso, juntamos a documentação e vamos ao Tribunal de Contas do Estado para saber quem recebeu o dinheiro e qual foi o valor?, afirmou o petista.

Já o vereador R. Silva declarou que o Ministério Público recebeu o relatório assinado pelo três vereadores constando que na prestação de contas, por conta do aniversário, apontava obras que não foram efetivamente realizadas. O documento foi produzido com informações da Famcc (Federação das Associações de Moradores e Conselhos Comunitários).

Fonte: Efrém Ribeiro, Jornal Meio Norte / meionorte.com