Vereadores querem punição para quem ligar esgotos a rios

Vereadores querem punição para quem ligar esgotos a rios

Vereadores e gestores de órgãos do meio ambiente aprovaram ontem proposta cobrando da PMT punição para pessoas que fazem ligações clandestinas

Os vereadores e gestores de órgãos do meio ambiente em Teresina aprovaram ontem uma proposta da vereadora Teresa Britto (PV) cobrando da Prefeitura de Teresina punição para pessoas que fazem ligações clandestinas de seus esgotos em galerias fluviais. A audiência pública tratou da poluição do rio Poti, e foi realizada na Câmara Municipal de Teresina.

A solicitação será feita pela comissão permanente que foi constituída na Câmara Municipal para tentar solucionar a poluição dos rios, inclusive por meio de ações colegiadas das Secretarias do Meio Ambiente do Estado e do Município e do Ibama.

Teresa Britto sugeriu a criação de um termo de cooperação técnica para que, a curto prazo, haja a limpeza do Rio Poti. Será elaborado um relatório da audiência para os Ministérios das Cidades e do Meio Ambiente, e para os membros do Senado e da Câmara Federal.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Deocleciano Guede, defendeu medidas permanentes e não paliativas, como a multa. ?Se for com papo e não doer no bolso e moralmente, não sai do lugar, não faz mesmo e o problema vai voltar sempre.

Educação ambiental passa pela educação do bolso. As casas hoje são construídas ligadas diretamente nas galerias fluviais, poluindo ainda mais o rio, assim como casas antigas. A galeria deveria jogar água da chuva no rio, mas joga os esgotos que vêm das casas?, reclamou o secretário.

Deocleciano lembrou que quando foi pedido o licenciamento para a obra da galeria do bairro Promorar, ele afirmou na ocasião que daria a autorização se todas as bocas de esgotos jogados nas galerias fossem fechadas.

?Se essa medida fosse tomada, as fezes voltariam para as casas das pessoas e isso seria a maior confusão. Politicamente é muito ruim, mas para o meio ambiente é necessário e obrigatório. Enquanto não houver medidas como essa, o problema não será resolvido?, criticou.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte