Veto à minissaia e ao decote divide opiniões de mulheres na Câmara

"Vão colocar segurança medindo tamando da saia", perguntou deputada

Integrantes da bancada feminina divergem em relação à proposta sob análise da Mesa Diretora que pretende impor regras de vestimenta na Câmara dos Deputados, restringindo o uso de minissaia e decote.

A pedido de parlamentares, o primeiro-secretário da Câmara, deputado Beto Mansur (PRB-SP), anunciou nesta quarta-feira (2) que a Mesa Diretora vai elaborar um projeto com regras para “evitar excessos” nas dependências da Casa.

Por se tratar de uma questão administrativa, o projeto não tem que ser apreciado pelo plenário, podendo ser votado pelos próprios integrantes da Mesa.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) é uma das que criticam a medida sob o argumento de que o parlamento tem temas mais importantes para tratar. Para ela, a proposta é “ridícula” e “desmoraliza” a Câmara. “Imagina o ridículo: vai colocar segurança medindo tamanho de saia, tamanho de decote?”, questionou.

Image title


Ela sustenta ainda que a medida irá “elitizar” o Congresso devido ao nível de exigência. “Estudantes, movimentos sociais, como vão entrar aqui? Até cor do tênis estão limitando”, disse.

Favorável à imposição de um “dress-code”, Keiko Ota (PSB-SP) defende que a Câmara encontre um ponto de equilíbrio.

“Tem que ser liberal e conservador porque é um ambiente de trabalho, que requer muito respeito. Mas também não pode exagerar porque estamos no século 21. Temos de ser ponderados. Um decote extravagante, por exemplo, não combina com o ambiente", opinou.

Fonte: Com informações do G1