Vice de Marina Silva não cometeu crime ambiental, diz Ibama

Guilherme Leal era suspeito de cometer irregularidades na Bahia

O candidato a vice-presidente pelo PV, Guilherme Leal, não cometeu crime ambiental, segundo afirma o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama). Em nota divulgada nesta sexta-feira (16), o presidente da entidade, Abelardo Bayma, afirma que o empresário não cometeu irregularidades no empreendimento residencial no Pontal da Barra do Tijuípe, na Bahia. O empreendimento ainda está em construção.

Leal, que é candidato a vice ao lado de Marina Silva (PV), havia sido denunciado ao Ibama por supostas irregularidades de maneira formal, por meio de denúncia protocolada no escritório da autarquia em Ilhéus, e por meio do sistema de ouvidoria Linha Verde, instalado em Brasília. As denúncias foram feitas no dia 1º de julho. Marina já havia defendido o candidato a vice. Em nota, divulgada na noite desta sexta, Leal afirmou:

"Sempre estive sereno e confiante que o Ibama cumpriria o seu papel com isenção".

De acordo com o presidente da entidade, fiscais do Ibama realizaram duas vistorias na propriedade de Leal e notificaram o empresário a apresentar a documentação sobre a situação do imóvel. Segundo o Ibama, a empresa Modusvivendi Participações Ltda entregou certidão da prefeitura de Uruçuca, atestando que o empreendimento está em conformidade com a legislação. Também foi entregue um documento declarando dispensa de licenciamento para o empreendimento.

A decisão do Ibama foi feita com base na documentação entregue. Segundo o presidente da autarquia, por se tratar de um empreendimento feito dentro de uma unidade de conservação estadual, e em atendimento do Sistema Nacional de Meio Ambiente (Sisnana), o monitoramento e fiscalização do empreendimento deverão ser feitos pelo órgão estadual.

Fonte: g1, www.g1.com.br