Vice-Governadora vai a Plenária Territorial da Serra da Capivara

A plenária acontece nesta terça-feira na Serra da Capivara

Image title

A vice-governadora Margarete Coelho participa nesta terça-feira (7) da Plenária Territorial do Plano Plurianual 2016-2019 que será realizado no território da Serra da Capivara. O evento tem como finalidade debater e selecionar as prioridades do território para negociação de investimentos e recursos e é aberto à participação de representantes das instituições da sociedade civil e dos órgãos públicos municipais e estaduais da região.
Margarete Coelho realizará a abertura da plenária ao lado do secretário de Defesa Civil, Hélio Isaias, e da secretária interina de Segurança Pública, delegada Eugênia Villa, às 8 horas, no auditório da 13º Gerência Regional de Educação, localizada na Rua Aniceto Cavalgando Nº 2013, bairro Aldeia, em São Raimundo Nonato.

De acordo com a vice-governadora, temas como educação, infraestrutura, saúde, economia, desenvolvimento rural, entre outras questões importantes para o desenvolvimento do território serão debatidos em salas específicas, com a participação de técnicos e gestores estaduais que apoiarão as discussões e a definição das prioridades. “O Estado por meio de gestores e técnicos tem ido a cada território ouvir e conhecer a realidade de cada região para planejar e realizar ações estratégicas com base na previsão orçamentária para os próximos 4 anos”, disse.

“Estamos indo em cada território a fim de fazer um raio x da situação de cada região, levando em consideração múltiplos aspectos da infraestrutura, saúde, educação, turismo, emprego e renda, segurança, vulnerabilidade entre outros aspectos para planejar ações estratégicas, que nortearão a identificação das metas governamentais a serem cumpridas no período de 2016 e 2019. Já estivemos no território de Cocais, Carnaubais, Entre Rios, Vale do Sambito, Guaribas, Vale Canidé e Itaueiras”, destacou Margarete.

O PPA
A elaboração do PPA está sendo realizada em três etapas com a realização de oficinas setoriais nos órgãos públicos; oficinas territoriais, para validar a produção das oficinas setoriais através da definição das prioridades propostas pelos territórios; e a reunião das contribuições e construções dos órgãos públicos para a elaboração da versão final do documento, que será encaminhado à Assembleia Legislativa para aprovação.

Fonte: Portal MN