Vila do Ancião recebe reforma e idosos ganham mais conforto

A entrega da reforma foi realizada nessa quarta-feira, 17, com grande festa.

A Vila do Ancião está de cara nova. A instituição que existe há 32 anos e nunca havia sido reformada, ganhou pintura nova, praça de eventos, lavanderia, banheiros adaptados, piso e outros benefícios. A entrega da reforma foi realizada nessa quarta-feira, 17, com grande festa.

Foram investidos cerca de R$ 700 mil na obra do local, que hoje abriga 63 idosos, mas que agora tem capacidade para atender até 100 pessoas. A Vila do Ancião possui 28 suítes e 48 quartos individualizados e equipe multiprofissional composta por fisioterapeuta, psicólogo, enfermeiro, assistente social, médicos, nutricionista e cuidadores sociais.

As cinco alas reformadas receberam os nomes de Raio da Amizade, Raio da Esperança, Raio do Amor, Raio da Fé, Raio da Alegria. Segundo a secretária da Assistência Social e Cidadania, Gilvana Gayoso, o local ganhou também um alojamento para policiais e uma capela, além de ter sido todo murado.

?Os idosos atendidos foram encontrados nas ruas, bancos de praças, terminais rodoviários, ou seja, em situação de abandono. Aqui, eles recebem alimentação adequada, assistência de profissionais e muito carinho?, destacou. O governador Wellington Dias ressaltou que o local apresentava muitos problemas estruturais por falta de reforma e que as mudanças foram profundas.

Foto: Francisco Gilásio/CCom

Reforma da Vila do Ancião

A reforma seguiu as orientações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), portanto, a Vila do Ancião está adequada ao que o Estatuto do Idoso prevê para Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI). Durante a solenidade foram entregues os presentes ganhos pelo governador em seu aniversário, no dia 5 de março, que foram destinados aos idosos da Vila. ?Quero agradecer às pessoas que doaram lençóis, ventiladores, colchões e tantos outros presentes a essas pessoas que ao final da vida foram abandonadas pela família e merecem mais conforto?, disse.

Fonte: CCOM, www.pi.gov.br