Visita de Ahmadinejad terá comitiva de 280 autoridades

Presidente do Irã deve chegar ao país na manhã de segunda-feira (23)

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, chega ao Brasil na próxima segunda-feira (23) acompanhado por uma comitiva composta por 280 autoridades políticas e empresariais do país. Em entrevista concedida nesta sexta-feira (20), o embaixador iraniano no Brasil, Mohsen Shaterzadeh, apresentou os detalhes da visita, que deve durar apenas um dia.

Segundo Shaterzadeh, o presidente iraniano deve chegar a Brasília na segunda e retornar ao Irã na manhã de terça-feira (24). Duas aeronaves farão o transporte da delegação. Ahmadinejad deve fazer um discurso no Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB), por volta das 18h, onde vai responder perguntas de estudantes e jornalistas.

Segundo a assessoria do Iesb, Ahmadinejad quer debater suas ideias com a população de Brasília e estará aberto a perguntas de temas que vêm provocando polêmica na comunidade internacional como a inexistência do holocausto, o domínio da tecnologia nuclear e a perseguição religiosa.

Ao longo do dia, o presidente iraniano também deve encontrar os presidentes da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), e do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Um almoço com autoridades também está na agenda do presidente. O embaixador não deu detalhes sobre os assuntos que serão tratados por Ahmadinejad e Luiz Inácio Lula da Silva. A comitiva de empresários iraniano, com 150 integrantes, vai permanecer três dias no Brasil.

Nesse período, os iranianos irão participar de reuniões com empresários brasileiros. O Ministério das Relações Exteriores e a Confederação Nacional da Indústria (CNI) estão à frente da organização dos encontros. Segundo o embaixador, as discussões serão organizadas em grupos por setor de atividade industrial. "Uma grande delegação política e econômica iraniana virá ao Brasil na segunda. Teremos uma grande cooperação bilateral. Serão 280 autoridades políticas e empresariais do irã que virão em dois aviões.

Sendo que o seminário entre empresários do Irã e do Brasil deve reunir 350 líderes", relatou o embaixador iraniano. Shaterzadeh disse que os dois presidentes devem assinar acordos de cooperação em pelo menos oito áreas. Parcerias para atividades em setores de cultura, tecnologia, energia, mercado financeiro e agricultura são algumas das ações previstas. Na questão financeira, Brasil e Irã devem firmar acordo entre a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a bolsa de valores iraniana. É a primeira missão oficial de um chefe de estado iraniano ao país, em 50 anos.

Desde 2008, os dois presidentes já se encontraram em duas oportunidades. A primeira no Equador e a segunda nos Estados Unidos. Esse será o terceiro encontro entre Lula e Ahmadinejad.

Protestos

Perguntado sobre os protestos de entidades de Direitos Humanos e de setores da política brasileira contrários à visita do presidente iraniano, o embaixador argumentou que a maioria da população brasileira estava "contente" com a visita de Ahmadinejad. Na avaliação dele, o Irã é o país mais democrático do Oriente Médio. "Observamos que a maioria da população brasileira está contente com a visita. Certamente o presidente da Câmara e o presidente do Senado conhecem a realidade do Irã. O Irã é um país cem por cento democrático, é o país mais democrático do Oriente Médio. Todas as bases de governança são baseadas no voto popular", respondeu o embaixador.

Fonte: g1, www.g1.com.br