Votação do Orçamento 2015 é adiado e entrará em reunião extra na Câmara

A medida se deu após o pedido de vista dos deputados Merlong Solano (PT), Mauro Tapety (PMDB) e Tererê (PSDB)

A elevação nas dotações repassadas aos Poderes inserida na proposta orçamentária para o ano que vem provoca contestações entre os parlamentares.

Aguardando a aprovação na Comissão de Fiscalização e Controle, Finanças e Tributação, a apreciação do relatório final produzido pelo deputado estadual Antônio Félix (PSD) foi adiada pela segunda vez seguida ontem. Com a decisão, o Orçamento entrará em pauta na segunda-feira (15), em Reunião Extraordinária. A medida se deu após o pedido de vista dos deputados Merlong Solano (PT), Mauro Tapety (PMDB) e Tererê (PSDB).

Com a receita corrente líquida de R$ 8,6 bilhões, a proposta prevê aumento de 23,3% para o Ministério Público e o Tribunal de Justiça, percentual condenado por Solano, pertencente a base aliada do futuro governador Wellington Dias (PT). "A questão é nervosa, é vital para o Piauí ano que vem, não podemos brincar de orçamento como se a receita fosse elástica, nós não somos crianças", disse.

Segundo o parlamentar, o momento agora é para se reunir com a equipe do governador eleito e propor uma emenda no que tange a elevação dos recursos dos Poderes. "economia no mundo todo está crescendo todo, não é razoável fazer aumento muito acima do previsto, como está sendo discutido nessa casa.

Vou discutir o assunto com a equipe econômica já anunciada pelo governador eleito e apresentarei emenda neste item específico em relação ao orçamento dos poderes", detalhou.

De acordo com o deputado, se aprovado, o percentual poderá causar danos as finanças do Estado, a elevação seria inviável tomando como base a situação que o Estado enfrenta atualmente. "Se aprovado nesses valores comprometerá as finanças do Estado", finalizou.

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Francy Teixeira