Votação pela cassação de Cunha é adiada para esta quarta

A votação do parecer ficou para esta quarta-feira (8)

Foi adiada para esta quarta-feira (08) a votação do parecer pela cassação do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O relator do processo, deputado Marcos Rogério (DEM-RO), baseado em uma determinação regimental, pediu ao presidente do colegiado, osé Carlos Araújo (PR-BA), um prazo para estudar o voto em separado apresentado pelo deputado João Carlos Bacelar (PR-BA).

Bacelar apresentou um voto sugerindo a punição de uma suspensão do mandato de Cunha por três meses. O presidente marcou uma nova sessão para apreciação do parecer amanhã, às 14h. Se a votação fosse nessa terça-feira (7/6), o relatório que pede a cassação de Eduardo Cunha seria rejeitado. De acordo com o relator, Marcos Rogério (DEM-RO), o voto em separado apresentado por João Carlos Bacelar chega exatamente a mesma conclusão que o dele, porém com punições diferentes. "Em seu voto, ele concorda que houve a quebra de decoro parlamentar, só sugere uma punição diferente. Quero um tempo para analisar essa divergência."

Eduardo Cunha (PMDB-RJ)
Eduardo Cunha (PMDB-RJ)


Dona do voto mais esperado do Conselho de Ética da Câmara, a deputada Tia Eron (PRB-BA) é o único membro titular do colegiado que não registrou presença na sessão de hoje.  Na ausência dela, quem votaria hoje era o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), primeiro suplente a marcar presença. Marun chegou cedo ao Conselho de Ética e é declaradamente defensor de Eduardo Cunha.

Tia Eron (PRB-BA), dona do voto mais esperado
Tia Eron (PRB-BA), dona do voto mais esperado

Entre os integrantes na sessão de hoje, 10 declararam voto contra a cassação de Cunha e nove a favor. A única que não se pronunciou é Tia Eron. Se ela votar pela cassação, o placar ficará empatado e o voto decisivo será do presidente do colegiado José Carlos Araújo, que é favorável ao relatório do deputado Marcos Rogério (DEM-RO). Caso ela não apareça novamente para votar, o voto de Marun garante um placar de 11 a 9.

Durante toda a segunda-feira, a deputada baiana esteve reunida com lideranças de seu partido. Na semana passada, Eron elogiou o relatório de Marcos Rogério e disse que votaria pela “preservação da moral na Câmara”. Ontem, ela não se pronunciou. Nomeado pelo presidente em exercício Michel Temer para comandar a pasta da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o presidente nacional do PRB, ministro Marcos Pereira, esteve reunido nesta segunda-feira (6) com Temer. A sigla faz parte do chamado “centrão”, apoiou a eleição de Cunha para a presidência da Casa e votou em peso pelo impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. São 22 deputados na bancada.

Fonte: correiobraziliense