Voto impresso volta em 2018 para casos de suspeita de fraude

Voto impresso passa a valer em 2018 para checagem de eleitor

Apesar do veto da presidente Dilma Rousseff ao voto impresso para o caso de conferência, previsto no projeto de lei da minirreforma eleitoral (PL 5.735/13), os deputados em sessão do Congresso Nacional derrubaram a decisão. Foram 368 deputados contra e 50 a favor do veto.

Image title

Os senadores mantiveram a decisão dos deputados. Com a derrubada do veto, o texto vetado pelo governo será reinserido na Lei 13.165/15, da reforma política.

A matéria prevê o uso do voto impresso nas urnas eleitorais para conferência pelo eleitor, sem contato manual, assim como para posterior auditoria, em caso de suspeita de fraude. A regra entrará em vigor nas próximas eleições gerais, em 2018.

O Tribunal Superior Eleitoral informou que nova regra demandará um gasto de cerca de R$ 1,8 bilhão nas próximas eleições. Isso porque, a no novo formato serão impressos cerca de 220 milhões de comprovantes.

Fonte: Com informações do Brasil Post