W.Dias: "Wilson vai abraçar projeto de João Vicente"

O ex-governador também negou as especulações de que não exerceria o mandato de senador

Uma campanha sem baixarias. É isso o que espera o senador eleito Wellington Dias (PT) em relação ao segundo turno no Estado, disputado entre o atual governador Wilson Martins (PSB) e o ex-prefeito Sílvio Mendes (PSDB). "Temos que ter uma eleição de alto nível, sem baixaria", afirmou Dias. O ex-governador também negou as especulações de que não exerceria o mandato de senador com uma eventual vitória da candidata do PT à Presidência, Dilma Roussef. "Meu entusiasmo é para desempenhar o mandato de senador. Não foi tratado nada de que eu deva assumir um ministério", esclareceu.

Wellington, no entanto, enfatizou que foi convidado pelo presidente Lula para contribuir em um grupo de trabalho com o objetivo de articular uma saída para a conclusão da votação do pré-sal no Congresso. "Também discuti com o presidente Lula uma solução para o tratamento dos dependentes químicos. Quero me somar aos deputados da bancada federal do Estado", afirmou. Para Dias, o segundo turno à nível nacional foi positivo para Dilma.

"O povo quer que tenhamos mais humildade e quer conhecer nosso projeto em relação à Dilma. Vai ser dois votos e é mais fácil aos eleitores. Inventaram muitas mentiras, como a de que ela era a favor do aborto, e vamos esclarecer esses pontos", argumentou. O senador eleito ressaltou que a votação do deputado federal Antônio José Medeiros (PT), companheiro de chapa no Senado, "surpreendeu". "Ele teve uma votação extraordinária, mas começou a campanha atrasado, e isso prejudicou", acredita.

Já sobre a recomposição da base aliada com a adesão do PP, PDT e PTB à candidtura de Wilson Martins, Dias afirma que existia uma "relação de amizade e trabalho rompida por questões circunstanciais". "Minha vitória teve a participação do João Vicente, que se elegeu comigo e com o Wilson. Estamos dando continuidade ao que fizemos em 2002 e 2006", completou. Wellington também diz que os termos da adesão da antiga coligação "Por um Piauí novo", "não comprometem os interesses do povo".

"O programa de João Vicente tem várias propostas que iremos acatar, como nas áreas do empreendedorismo e juventude que serão abraçadas pelo Wilson Martins. Não é negociata, isso nos permite governar com pessoas com quem já temos afinidade, um time grande e forte", concluiu. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte