Warton: Candidatura do PT e PMDB é inviável

O argumento do parlamentar é de que o critério acordado inicialmente escolheria o pré-candidato que estivesse melhor colocado nas pesquisas.

Os próximos 15 dias será de ansiedade para os membros dos partidos que integram a base aliada, sobretudo para os quatro pré-candidatos que pleiteiam uma cabeça de chapa. A opinião do deputado estadual Warton Santos (PMDB) é de que, no cenário atual e obedecidos os critérios, a candidatura do secretário Antônio José Medeiros (PT) e deputado federal Marcelo Castro (PMDB) se torna inviável.

O argumento do parlamentar é de que o critério acordado inicialmente escolheria o pré-candidato que estivesse melhor colocado nas pesquisas. "Se esse critério for respeitado, o PT não tem condições de viabilizar o Antônio José, assim como o PMDB não tem de viabilizar o Marcelo Castro. Ambos não estão indo bem nas pesquisas", justifica, acrescentando que o governador Wellington Dias já tem em mãos pesquisas que irão nortear a escolha do pré-candidato.

Ainda assim, mesmo que Marcelo Castro não seja o escolhido para representar a base, a opinião do deputado é de que o partido desse permanecer na base aliada. Analisando o quadro atual, Warton Santos acredita que o PMDB possui 70% de chances de permanecer com a base governista. "Mas vamos analisar, porque o entendimento do partido é manter uma unidade partidária. Está falando apenas 13 dias para termos essa definição", diz, opinando que o governador decidirá por permanecer no cargo. (M.M)

Fonte: Mayara Martins