Wellington Dias aciona Ministério da Justiça para encaminhar bens provenientes do tráfico

De acordo com o secretário Fábio Abreu, levantamentos preliminares apontam que o tráfico de drogas movimenta quantias relevantes

O governador Wellington Dias, em apoio à proposta do secretário de Segurança, Fábio Abreu, tratou com o Ministério da Justiça sobre a possibilidade de imóveis, veículos, equipamentos e dinheiro provenientes do tráfico de entorpecentes virem a ser utilizados no combate à criminalidade no Piauí.

“Se tem imóveis comprovadamente fruto do crime, do tráfico de drogas, neste caso, passa a ser posse do poder público e nada mais certo que usar para combater o próprio crime. Já temos diálogo com o Judiciário e Ministério Público. O secretário de Segurança está tratando com nosso procurador e acredito que teremos resultado favorável”, afirma o governador.

De acordo com o secretário Fábio Abreu, levantamentos preliminares apontam que o tráfico de drogas movimenta quantias relevantes e que existem ferramentas para detectar se todos os bens foram adquiridos ou não de forma criminosa. A ideia é sensibilizar o Poder Judiciário para encaminhar e colocar à disposição da segurança pública esses recursos. Com as apreensões feitas no estado, o secretário revela que o dinheiro poderia ser empregado em prol do combate, prevenção de crimes e tráfico de drogas.

“Recentemente, um avião com carregamento de entorpecentes caiu no município de Assunção do Piauí. Seis pessoas foram presas e com elas foram apreendidos rádios comunicadores e até mesmo um drone, equipamentos que podem ajudar o Piauí a combater o tráfico de drogas. Em outra operação policial, foram apreendidos R$ 320 mil, dinheiro que também pode ser utilizado para repressão e prevenção de crimes”, alerta o secretário. “Através do Laboratório de Lavagem de Dinheiro, da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), temos como levantar as informações e apresentar provas concretas da origem dos bens móveis e imóveis. Agora, cabe ao Judiciário autorizar ou não, reverter para a segurança pública e, desta forma, aparelhar delegacias para fazer enfrentamento ao tráfico. Também queremos que o dinheiro seja destinado às áreas sociais que tratam da prevenção ao uso de entorpecentes”, confirma o secretário Fábio Abreu. Wellington Dias afirmou, ainda que também está pleiteando cota de participação nas apreensões de crimes federais feitas em território estadual.


Fonte: CCOM