Dias condena debate agressivo para definir candidatura

"Isso é natural no PT, pois é o único partido que existe democracia interna", disse Dias

A defesa da candidatura própria do PT à Prefeitura de Teresina tem sido o foco das discussões entre os membros e filiados que formam a cúpula do partido. O senador Wellington Dias(PT), é um dos defensores da causa e convive com a grande possibilidade de sua esposa, a deputada Rejane Dias, ser a candidata do partido nas eleições desse ano.

Em entrevista ao meionorte.com na tarde de hoje(15), o senador admitiu que se o nome de Rejane não for o ideal para a disputa pelo partido, estará disposto a ouvir e trabalhar por outros nomes. " Nós temos bons nomes em nosso partido. Se tiver outra alternativa, sairei em defesa da mesma forma", disse o senador.

Wellington Dias criticou e condenou o debate agressivo: " Isso não é saudável. Lamento que as discussões possam entrar na linha pessoal. Temos alternativas para vencer a eleição e um compromisso. Isso é natural no PT, pois é o único partido que existe democracia interna para a escolha de candidatos", afirmou Dias.

PEC 300 e PRÉ-SAL

Sobre as discussões da lei PEC 300 que é cercada de expectativa para votação em 2012, o senador Wellington Dias reconhece que sem uma fonte definida, não há possibilidade de aprovação. Segundo ele, os outros Estados da federação não podem ter como base, o Distrito Federal que é uma capital.

" Não podemos ser pessimistas, mas a PEC 300 só será atendida com o pré-sal. Os líderes do movimento da PEC, deveriam também entrar na luta pela aprovação do pré-sal, pois a partir disso, será possível suportar a despesa que será acrescentada aos Estados com a implantação dos efeitos da lei ao salário dos policiais. Para o piso salarial ser votado, deve haver uma fonte para esses recursos", declarou Dias.



Fonte: Marcos Moraes