Wellington Dias pede investigação contra os Correios; "falta de zelo"

Wellington Dias pede investigação contra os Correios; "falta de zelo"

Membros da campanha de Wellington Dias desconfiam que o "atraso" nas remessas tem motivação política eleitoreira

A assessoria de campanha do candidato a prefeito de Teresina, Wellington Dias, divulgou ontem que recebeu denúncia anônima, na última semana, de que correspondências do senador, enviadas a 236 mil endereços nas zonas urbana e rural da capital, estariam sendo parcialmente retidas no Centro de Triagem da empresa, localizado no bairro Monte Castelo.

As cartas de Wellington Dias foram postadas em 6 de agosto passado com pagamento do contrato de remessa efetuado na mesma data. Pelo que se acertou entre ECT e a coordenação política do PT, todo o volume das postagens deveria ser entregue em até 10 dias. Contudo, muitos destinatários identificados na lista do comitê petista declararam não ter recebido qualquer uma destas correspondências pelos Correios.

De acordo com o denunciante, que não quis se identificar - até a data de 15 de agosto, somente 10% das correspondências de Wellington Dias teriam sido despachadas para entrega, ficando o restante amontoado na central de distribuição dos Correios, localizada na Avenida Walter Alencar. Pela última informação repassada ao comitê do PT, ainda faltam 100 mil cartas por entregar depois de 24 dias da postagem. Membros da campanha de Wellington Dias desconfiam que o "atraso" nas remessas tem motivação política eleitoreira cuja finalidade é a de esconder a candidatura do PT à prefeitura de Teresina.

A coordenação da campanha de Wellington Dias comunicou o fato diretamente para o presidente da ECT, Wagner Pinheiro de Oliveira, através de e-mail enviado a Brasília (DF) no início da semana, solicitando esclarecimentos acerca da denúncia recebida. O dirigente nacional da empresa autorizou abertura de investigação para apurar o caso. Lideranças ligadas a Wellington Dias evitaram tratar do assunto com a direção geral dos Correios no Piauí em razão da ECT ser gerida no estado por indicação de liderança política que coordena a campanha de um adversário do petista na disputa pela prefeitura de Teresina.

"Nunca aconteceu isso na história dos Correios aqui, O episódio demonstra falta de zelo com a imagem de uma instituição secularmente respeitada pelos bons serviços que presta à sociedade brasileira. Queremos saber quem comanda esta estratégia", comentou Wellington Dias.

Fonte: Ananias Ribeiro