Wellington discute sustentabilidade fiscal e reforma da previdência

Wellington Dias defendeu a criação de uma previdência única

Em painel, realizado dentro da programação do Seminário Diálogos Públicos, evento promovido pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e que reúne os governadores do Nordeste para discutir um desenvolvimento sustentável para a região, o governador Wellington Dias defendeu a criação de uma previdência única para os três poderes, setor privado, para estados e municípios.

Dias participou do painel Financiamento do Desenvolvimento Regional, Sustentabilidade Fiscal e Visão Integrada dos Entes federativos em prol do Desenvolvimento Regional Sustentável, mediado pelo vice-presidente do Tribunal de Contas da União, Raimundo Carreiro e que contou com a participação do governador da Paraíba, Ricardo Coutinho; secretário de acompanhamento econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida e o representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento no Brasil, Hugo Flores.

“Nosso grande desafio na área fiscal já não e mais tanto a dívida com a União, mas a previdência. Eu creio, e isso é algo que venho falando há algum tempo, é que o Brasil tenha a coragem de ter uma previdência única para os três poderes, setor privado, estados e municípios. Tendo um misto de previdência geral, com o modelo do INSS com o modelo de previdência complementar que o país já tem”, afirmou Wellington Dias.

Dentro da programação do Seminário, foram discutidas ainda ações conjuntas que alavanquem o desenvolvimento da região. Para o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, esse objetivo pode ser alcançado através da construção de pautas comuns a todos os estados nordestinos. “Você reunir especialistas, representantes do setor privado e governadores, é fundamental, particularmente, quando você tem uma identidade própria com é o caso do Nordeste. Eu acho que responsabilidade fiscal, perspectiva de desenvolvimento sustentável, futuro da região dentro de uma proposta interligada são a saída para o Nordeste. O Nordeste tem aprendido, mas precisa aprender cada vez mais que tem muita coisa que não se resolve de estado separadamente, resolve dentro de uma perspectiva conjunta”, destacou o gestor.

“O Nordeste um país dentro do Brasil. Temos que atuar juntos. Norte e Nordeste tem 54 senadores, 270 deputados na câmara e ainda somos descriminados. Para reverter esse cenário devemos agir juntos”, pontua Dias.

Potencialidades da região, como as matrizes energéticas, particularmente energia eólica e solar, o turismo e mineração são apontadas como grandes trunfos para os estados. Para os governadores do Nordeste, a região registou avanços importantes nos últimos anos, onde realidades, antes vistas exclusivamente como problema, hoje possuem perspectivas de solução espalhadas pelos nove estados. Tal mudança é creditada a uma maior responsabilidade na gestão dos gastos públicos, o que viabilizou investimentos e medidas que agregaram ao desenvolvimento social e econômico, como a interiorização do ensino superior realizada pelo Governo Federal nos últimos anos e boas práticas efetivadas nos estados, fazendo disso um instrumento comum do desenvolvimento. São exemplos disto as práticas de alfabetização e educação básica no Piauí, educação em tempo integral em Pernambuco, ensino profissionalizante no Ceará e políticas de geração de renda na Paraíba. 

Fonte: Com informações da Prefeitura de Teresina