Wellington quer o Piauí como um dos melhores lugares para viver

O objetivo é elevar o IDH e combater a pobreza no Piauí.

O Governo do Estado está preocupado em elevar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e combater a pobreza no Piauí. A meta é acelerar o desenvolvimento do estado, promovendo ações integradas para o direcionamento e fortalecimento das políticas públicas voltadas para a saúde, educação, habitação, distribuição de renda e inclusão produtiva.

De acordo com o secretário de Estadual do Governo, Merlong Solano, o objetivo é preparar as equipes da administração estadual para um acompanhamento permanente do Desenvolvimento Humano. O projeto envolve todos os órgãos estaduais e será comandado pelo diretor da Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí (Cepro), Antônio José Medeiros.

Para auxiliar nesse estudo, o governo contratou o doutor em economia, Ricardo Paes de Barros, economista-chefe do Instituto Airton Sena. “Convidamos o doutor Ricardo porque ele já conhece profundamente a realidade brasileira e também por ter feito grandes estudos nessa área, com experiência junto ao Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e ao Instituto Ayrton Senna.  O doutor em economia deve nos auxiliar indicando onde o Piauí deve investir mais fortemente para que nosso IDH cresça”, informou Solano.

Merlong explicou que Paes de Barros está analisando a evolução do IDH no Piauí e monitorando as políticas públicas. “As áreas temáticas a serem desenvolvidas são o desenvolvimento rural e inclusão produtiva no campo; desenvolvimento econômico, mercado de trabalho urbano, economia solidária e empreendedorismo; distribuição de renda, pobreza e desigualdade; educação da população em idade escolar; condições de saúde, atenção básica e mortalidade; condições habitacionais e acesso a serviços públicos”, destacou o secretário.

Segundo informou Ricardo Paes de Barros, o governador solicitou apoio para elaborar um plano para que, até 2022, o Piauí seja um dos melhores lugares para viver no Brasil. “O estado ainda possui IDH abaixo da média nacional, mas se os percentuais que ele vem apresentando nos últimos anos aumentarem com mais rapidez, pode atingir o melhor IDH do Nordeste. Mas para que isso aconteça, o governo precisa promover ainda mais os arranjos produtivos locais, aprofundar a distribuição de renda e dar atenção maior à saúde”, frisou o economista.

Paes de Barros prestará consultoria para o Estado até dezembro deste ano. Neste intervalo de tempo, serão realizadas reuniões temáticas com a equipe técnica e gestora designada pelo governo para acompanhar a análise dos dados estatísticos que irão auxiliar na avaliação da evolução de cada área temática. Ao fim do período, serão discutidas as propostas de reformulação das políticas públicas do estado. 


Fonte: Ascom