Wilson: "Minha definição vai acontecer até junho"

Para o pré-candidato do PSB, se a base não ficar unida, "cada um vai cuidar do seu caminho e o mundo não vai acabar".

Apesar do tudo ou nada na disputa pela viabilização de uma candidatura na base aliada, o vice-governador Wilson Martins (PSB) reiterou que continua trabalhando pela "unidade do bloco". Admitindo que o momento é de "muita paciência", Martins ressaltou que os partidos precisam ter autonomia para tomar decisões.

"Meu desejo é a união da base. Acho absolutamente possível. É um projeto que está dando certo e deve continuar", defendeu. Mas, para o pré-candidato do PSB, se isso não for possível, "cada um vai cuidar do seu caminho e o mundo não vai acabar.

As trocas de fogo amigo entre os membros da base aliada foram apaziguadas por Wilson Martins, que evitou criticar o posicionamento de petistas e petebistas. "É natural que alguém possa exagerar e agir pela emoção ao invés da razão.

No período de pré-campanha existe muita ansiedade. Não só dos candidatos majoritários, mas dos proporcionais também. Todos ficam inseguros, mas é preciso cautela", disse ontem durante a assinatura da ordem de serviço para o alargamento da ponte da Primavera.

O posicionamento de Martins bate de frente com a opinião declarada pelo governador Wellington Dias (PT), que já afirmou que pretende anunciar o candidato do bloco governista até o final de março.

Mesmo garantindo a manutenção dos critérios definidos na reunião feita no ano passado na casa de Dias, alas do PMDB e do PT já argumentaram para um possível prolongamento do prazo estipulado. "Não podemos é deixar de tomar uma decisão, de acordo com o sentimento da população", acrescentou. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte