Ponte Estaiada reúne várias tribos que buscam lazer, esportes e tranquilidade

Ponte Estaiada reúne várias tribos que buscam lazer, esportes e tranquilidade

Os domingos do complexo turístico da Ponte Estaiada nunca são iguais

Tranquilidade, aventura, diversão e história. Todos esses atrativos parecem bem distintos, mas podem ser encontrados em um único lugar em Teresina. Trata-se do Complexo Turístico da Ponte Estaiada, que aos domingos recebe as mais variadas tribos que buscam diversão e lazer na capital.

Desde a sua inauguração, o espaço tem sido uma opção de lazer, nas mais diferentes atividades para famílias, turistas, jovens e clubes específicos. O fato é que os domingos da Ponte Estaiada nunca são iguais. Sejam eles jovens, adultos e crianças, vários teresinenses circulam por lá e aproveitam os domingos para passear.

Este é o caso dos jovens que fazem parte do Grupo de Escoteiros Dom Severino Vieira Melo. Eles aproveitam o espaço da Ponte Estaiada para promover atividades de lazer para os integrantes do grupo e ainda para tornar o movimento mais conhecido, como explica Lícia Milena Silva Oliveira, 20 anos.

?Hoje nós trouxemos a prática do rapel para os integrantes do grupo e para as pessoas em geral que queiram conhecer a prática esportiva. Sempre realizamos atividades chaves do grupo aqui e a última foi uma corrida de bigas. A ponte é um lugar lindo, um espaço adequado para a prática e nós ficamos muito felizes que Teresina conte com um espaço desse nível?, destaca a estudante.

?Nós estamos aqui quase sempre e convidamos amigos do movimento de escoteiros, nos reunimos com outros grupos e tudo proporcionado pelo espaço que realmente é muito bonito?. enfatiza a escoteira Emanuela Chaves, 20 anos.

Estacionamento recebe exposição de carros antigos

Há também a turma dos amantes de carros antigos que, através de uma parceria com a Prefeitura de Teresina e o Clube do Carro Antigo do Piauí, tem o espaço do estacionamento da ponte para a exposição das suas paixões de aço, verdadeiras obras de arte conservadas à moda antiga e que orgulha os seus donos ?colecionadores?.

Todos os domingos os integrantes do clube se encontram por lá para trocar experiências e poder trazer um pouco de nostalgia à vida moderna através da exposição dos seus carros antigo, porém apaixonadamente conservados em perfeito estado.

?Nós ficamos satisfeitos em poder resgatar a história do automóvel e ter esse espaço. As pessoas ficam curiosas, perguntam sobre os carros, a história, pedem para tirar fotos e a gente fica feliz em perceber que jovens e adultos gostam de relembrar essa parte lúdica do passado?, declara o empresário Alberlan Sousa, 55 anos, que atualmente é também o presidente do Clube do Carro Antigo do Piauí.

Em Teresina, cerca de 35 colecionadores formam o Clube do Carro Antigo do Piauí e, segundo eles, a maior paixão é manter os veículos em perfeito estado de conservação, com suas características originais e funcionando. ?Nos dá muito orgulho sair por aí passeando com nossas paixões conservadas, e que chamam a atenção das pessoas por onde passamos e é como voltar no tempo?, revela o empresário Valdemar Leite, 57 anos.

Para eles, os carros antigos não são apenas meios de transportes, ms paixões que remetem a boas memórias. Para essas pessoas, o prazer de garimpar, recuperar e dirigir carros antigos é um luxo que ultrapassa modismos e é passado de geração para geração.

Estaiada é point de motoclubes

A Ponte Estaiada também reúne aos domingos os amantes das motocicletas. Teresina agrupa uma grande quantidade de motoclubes e entre eles o que se destaca é a paixão pela velocidade e o amor pelas suas motocicletas.

?Geralmente nós que participamos de algum motoclube temos dias específicos e locais específicos para as nossas reuniões que acontecem semanalmente?, revela o motociclistas Paulo Carvalho, 48 anos, que é funcionário público.

É justamente no fim de semana - quando a maioria dos integrantes sendo profissionais liberais como advogados, administradores e ainda funcionários públicos estão de folga - que os diversos motoclubes realizam percursos para tomar café da manhã em determinados lugares mais afastados da cidade e, quando retornam, elegem a Ponte Estaiada como point de reunião.

Lá os apaixonados exibem suas máquinas possantes em duas rodas, trocam figurinhas em relação às motocicletas e modelos e ainda se organizam. ?O clima é familiar e de total amizade?, pontua Paulino Brandim, advogado de 48 anos apaixonado pela motovelocidade.

Contudo, os integrantes de todos os motoclubes esclarecem que são exímios cumpridores das normas de trânsito e que utilizam as suas belas motocicletas - algumas de modelos raros e de beleza inquestionável - como forma de lazer e hobby, sem que isso se torne um perigo para quem as pilota.

Prática de arvorismo atrai teresinenses

?O verde exuberante que te veste? é um dos versos do hino de Teresina, que ressalta a predominância do verde na cidade. Não é à toa, Teresina possui vários parques, praças e bosques, um total de área verde de 13m²/hab, superando o valor de referência da ONU, que é de 12m²/hab. As áreas de preservação às margens dos rios são há tempos utilizadas pela população para a prática de atividades esportivas como andar de bicicleta, praticar caminhadas e passear com a família.

Uma novidade que a cidade vem experimentando e, conhecendo aos poucos, é a prática do arvorismo. A atividade é um esporte radical que consiste na travessia entre plataformas montadas no alto das árvores, ultrapassando diferentes tipos de obstáculos como escadas, pontes suspensas, tirolesas e outras atividades que podem ser criadas. Sendo muito utilizada no turismo de aventura, para lazer e recreação.

Em Teresina, desde dezembro de 2012 existe uma plataforma de arvorismo situada às margens do Rio Poty, na Avenida Marechal Castelo Branco. O projeto é uma parceria ente a Prefeitura de Teresina e o coordenador da pista Marconi Matos. A pista possui 192 metros de extensão e está localizada em meio ao verde e às árvores.

Nos fins de semana, os teresinenses têm a opção de testar as vantagens que a prática oferece. Este foi o caso de Vanda Maria Santana Macedo, que aprovou a prática de arvorismo.

?Eu já conhecia de ver passar por aqui enquanto fazia minhas caminhadas diárias e aproveitei o domingo para vir conhecer melhor. Gostei muito e acho interessante por ser uma opção de lazer a mais para o teresinense e por possibilitar o contato com a natureza. O clima aqui na beira do rio é até mais ameno?, conta animada.

Fonte: Marcilany Rodrigues