População da Z.L reclama de descaso do poder público

População da Z.L reclama de descaso do poder público

O Loteamento Esplanada existe há quase quinze anos, mas os problemas que atingem o local são os mesmos desde sempre.

O Loteamento Esplanada do Uruguai existe há quase 15 anos em Teresina e ao longo deste tempo os moradores afirmam que o local onde vivem está em total abandono. Ruas sem calçamento, problema do mato, risco à saúde e insegurança são apenas algumas das reclamações que juntas contribuem para agravar a situação da comunidade.

Segundo os moradores, o maior empecilho chega a ser o difícil acesso às casas. No local, apenas a rua principal do loteamento, que dá acesso ao Bairro Dom Avelar, é asfaltada. Na segunda via principal, conhecida também por Rua 3, apenas dois quarteirões estão calçados.

Para quem mora no trecho onde não há calçamento, os problemas se acentuam. O caminhão do lixo deixou de passar pelo local há algum tempo, assim como carros e motos que precisam realizar um percurso ainda maior para chegar em algumas casas do conjunto.

Amauri Pacífico mora no final da Rua 3 há mais de 12 anos e conta que, devido à falta de calçamento que termina 200 metros antes de sua casa, precisa deixar o lixo domiciliar na porta de vizinhos, por onde passa a coleta. Mas diferente de Amauri, outros moradores utilizam os próprios terrenos baldios como depósito de lixo. Além do problema do acesso, em período de chuvas, a situação se agrava, pois segundo os moradores, a via fica intrafegável.

?Por conta do estado da rua, o caminhão do lixo já não passa mais na frente da minha casa. Eu, como trabalho à noite e chego de madrugada, preciso voltar de táxi, mas ele não passa por essa rua. Preciso pagar mais caro, porque o taxista precisa dar uma volta para poder chegar até aqui a minha casa. Essa situação é quando não chove. Quando está no período chuvoso é pior. A água chegou já a entrar na minha casa. É muita lama, fica intrafegável?, conta.

O difícil acesso se dá também para quem precisa utilizar ônibus. Ivaldo Pereira de Moraes afirma que pelo fato dos ônibus não circularem por dentro do loteamento, precisa enfrentar percursos ainda maiores para pegar uma condução. O ponto de ônibus mais próximo que os usuários podem encontrar fica localizado na avenida principal do Planalto Uruguai, que, segundo Ivaldo, fica a cerca de 15 minutos de sua casa.

?Quinze minutos é para chegar até a parada. Para chegar até aqui o percurso é ainda maior, porque ali os ônibus só descem. A volta chega a levar uns 20 minutos de caminhada. É a única alternativa que se tem?, conta.

Terrenos baldios são reforço à insegurança

A grande quantidade de terrenos baldios também tem causado uma série de problemas para a população. Um deles é a falta de segurança. Segundo Raimundo Nonato, o número de assaltos na Rua 3 é bastante elevado e a fuga dos bandidos é facilitada por conta dos terrenos baldios. ?Agora que estão iluminando aqui. Por várias vezes aqui ficava escuro porque quebravam as lâmpadas. Na entrada do loteamento tem muitos assaltos e as pessoas têm medo de passar por aqui?, explica.

Situação que Amauri Pacífico confirma. ?Essa rua é campeã de assaltos. Os bandidos já ficam esperando. Tentaram assaltar a minha esposa quando ela estava chegando na rua, a sorte que o rapaz a conheceu. Desde então sempre vou pegá-la porque está difícil?, conta.

A questão da insegurança também abrange a saúde. Ivaldo Pereira de Moraes mora no local há 13 anos e reclama da grande quantidade de mato nas ruas. Perto de sua casa, são pelo menos dois terrenos baldios, que além de ser um grande foco para a dengue, serve de depósito de lixo.

O morador afirma que já pegou dengue três vezes e todo ano algum parente contrai a doença. ?Aqui os próprios moradores se unem para limpar. Os terrenos têm dono, mas como os donos não vêm para limpar é o jeito nós mesmos fazer isso. Se for esperar pelo dono quem se prejudica é a gente?, comenta.

Terraplanagem será refeita no Esplanada

O superintendente de Desenvolvimento Urbano da Região Leste, Marcílio Andrade, afirmou que as ruas do Loteamento Esplanada do Uruguai receberam recentemente a terraplanagem, mas nem todas foram niveladas, já que a quantidade de pedras em algumas delas impossibilitou o trabalho das máquinas.

?No Esplanada do Uruguai passamos a máquina em várias ruas recentemente. Estão faltando duas, que não foi possível porque têm pedras muito grandes e que se passar a máquina pode mexer com a base das casas. A gente faz, depois o inverno vem e volta tudo de novo. O inverno não é ideal para fazer, mas nós vamos voltar a fazer a terraplanagem o mais rápido possível?, explica.

Quanto à possibilidade de pavimentação, o superintendente confirmou a realização em apenas duas vias. ?Lá tem duas ruas para serem feitas, ruas que o prefeito autorizou, uma delas é pelo Orçamento Popular?, confirma.

Fonte: Virgínia Santos