População de Avelino Lopes destina metade da renda para comprar água mineral

O prefeito do município, Dióstenes Alves, decretou estado de calamidade pública na região e esteve nesta terça-feira (26) em Teresina.

A população de Avelino Lopes, cidade a 859 km de Teresina, está sofrendo com a falta de água tratada para beber. A barragem, que abastece a sede do município, está praticamente seca, possuindo apenas 20% da sua capacidade. O prefeito do município, Dióstenes Alves, decretou estado de calamidade pública na região e esteve nesta terça-feira (26) em Teresina para discutir com parlamentares piauienses a situação da barragem.

O prefeito reuniu-se com o deputado estadual Fernando Monteiro (PTB), e solicitou o andamento do projeto de construção de uma adutora na cidade. Fernando Monteiro levou a questão para o plenário, apresentando fotos da atual situação do município aos deputados presentes. A construção da adutora deve beneficiar, além de Avelino Lopes, as regiões vizinhas, tendo capacidade para seis milhões de metros cúbicos de água.

O município que possui à 30 km a terceira maior barragem do Estado, Algodões II, com capacidade para 240 milhões de metros cúbicos de água, está passando por uma situação de calamidade, atingindo atualmente toda a zona urbana e rural. São 14 mil avelinenses que estão sendo atendidos através de carros-pipas e não possuem nenhuma forma de subsistência.

Segundo o deputado, a barragem acumulava água para abastecer toda a população, que há alguns anos era composta de apenas 400 casas, e hoje já ultrapassa as 3 mil residências para abastecimento. ?Atualmente o local se tornou um terreno seco, uma verdadeira imagem da desolação?, destacou Monteiro.

O petebista alertou ainda que o município é o que possui o maior consumo de água mineral do Brasil. ?Hoje a população de Avelino Lopes destina metade da sua renda a compra de água. A água é tudo para uma comunidade, sem água saudável a saúde da região fica caótica?, disse Fernando.

Fonte: Ascom