Por falta de medicamentos, tratamento de criança é interrompido

Farmácia não está mais disponibilizando o medicamento pelo SUS

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA QUINTA-FEIRA (07) DO JORNAL MEIO NORTE


Era uma vez uma linda garota que se chamava Tainá Ribeiro, atualmente, ela cursa o 4º ano do ensino fundamental. Seu hobby preferido é ler, inclusive já leu a coleção de livros do Harry Potter e do Diário de um Banana. Além da leitura, Tainá de apenas 9 anos, não abre mão de sua boneca, que se diverte com sua irmã mais nova, Talita, 7.

No entanto, essa menina tão pequena tem sofrido de um problema que pode, com maior rapidez, a tornar adulta mesmo ainda sendo uma criança. O problema que Tainá Ribeiro tem enfrentado é a puberdade precoce, isto é, são distúrbios hormonais, que agilizam as modificações físicas do organismo.

Mas para que tudo isso seja evitado e que a menina cresça dentro da normalidade, é necessário que esta tome o remédio chamado Leuprorrelina, sem interrupção. Porém, não é isso que tem acontecido, devido ao medicamento ser bastante caro e a farmácia de medicamentos excepcionais do SUS não está mais disponibilizando, por está em falta, Tainá Ribeiro está sem tomar a devida medicação há um mês. É o que o pai da menina explica:

“Desde o início de abril que marco presença lá na farmácia de medicamentos excepcionais do SUS e até agora nada. Já era para ela está tomando desde o mês passado e a única resposta que recebemos é que a farmácia está em falta com esse medicamento, por dívidas do governo anterior e não tem previsão de chegar esse medicamento. E eu como pai, vendo minha filha precisando de algo que não posso dar, como fico?”, desabafa Vagner Ribeiro.

Repórter: Márcia Gabriele


Fonte: Márcia Gabriele