Prefeito de Salvador pede R$ 250 milhões para combater chuvas

Prefeito de Salvador pede R$ 250 milhões para combater chuvas

Chuvas de março e abril colocaram 31 municípios baianos em situação de emergência

O prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro, admitiu que o município não tem capacidade para enfrentar os problemas causados pelo acúmulo de água. Ele disse que espera ?ajuda dos governos federal e estadual, com a doação de materiais, recursos humanos e financeiros?. Ao Ministério da Integração Nacional a Prefeitura já pediu R$ 250 milhões para obras de infraestrutura.

Em Dias D?Ávila, são 700 pessoas desalojadas, 100 desabrigadas, 300 deslocadas, 10 enfermos, 15 levemente feridos e mais de 1000 residências danificadas, além de 30 construções públicas danificadas e duas comunitárias. Já em Lauro de Freitas os números de desalojados chegam a mil, desabrigados são 1050 e feridos e enfermos contabilizam três.

A Cordec continua acompanhando os municípios baianos para a elaboração de relatórios, disponibilizando técnicos para ajudar na documentação necessária para o decreto de situação de emergência e informando a população a respeito da necessidade de sair das áreas de risco e ir para os abrigos.

Mais de 10,7 mil afetados

A Defesa Civil do Estado da Bahia (Cordec) informou que as chuvas que aconteceram nos meses de março e abril colocaram 31 municípios em situação de emergência. Somente com a chuva de abril, 20 municípios decretaram situação de emergência. O último a decretar foi Cairu, no litoral baiano.

No decorrer deste ano, foram dez os municípios que tiveram seus decretos homologados pelo Estado, o que ainda não aconteceu com os que sofreram com a chuva de abril.

Desses municípios em situação de emergência, 20 contabilizaram os prejuízos causados pelas chuvas desde o início de 2010. São 10.703 pessoas sem as suas casas, 379 feridos e enfermos e cinco óbitos. Diferente do que foi divulgado antes, não houve morte em Camaçari. O total de afetados nesses municípios é de 169.297 pessoas. Neste número soma-se também as pessoas que tiveram suas vidas prejudicadas, a exemplo das que não puderam ir à escola, ao trabalho, ou deixaram de exercer suas funções cotidianas.

Os 31 municípios que decretaram situação de emergência em março e abril são Apuarema, Cairu, Candeias, Cícero Dantas, Feira de Santana, Gandu, Governador Mangabeira, Itagimirim, Itamaraju, Itamari, Itanhém, Itapetinga, Lauro de Freitas, Madre de Deus, Medeiros Neto, Nova Viçosa, Nazaré, Potiraguá, Prado, Ribeira do Pombal, Ruy Barbosa, Santa Cruz da Vitória, Santo Amaro, São Sebastião do Passe, Simões Filho, Teolândia, Vera Cruz, Dias D´Ávila, Wenceslau Guimarães, Saubara e Salvador.

As situações mais graves são nos municípios de Salvador, Dias D?Ávila, Lauro de Freitas e Prado. Devido à topografia e a densidade demográfica, Salvador é o município mais abalado com as fortes chuvas. São 534 desalojados, 215 desabrigados, 28 feridos e dois mortos, tendo um total de afetados de 5.120 pessoas. Segundo dados do boletim pluviométrico da capital, as chuvas alcançaram 211 milímetros em apenas 24 horas, mais da metade do esperado para o mês, que seria de 323 milímetros.

Fonte: r7