Prefeitura de Teresina inaugura Centro para mulheres vítimas de violência

No local será feito atendimento individualizado às mulheres em situação de violência doméstica e familiar e outras do gênero.

O prefeito de Teresina, Firmino Filho, inaugura amanhã, terça-feira (31), às 12 horas, o Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência – ESPERANÇA GARCIA. No local será feito atendimento individualizado às mulheres em situação de violência doméstica e familiar e outras do gênero.  O Centro fica localizado na Rua São Pedro, 1775, no centro da cidade, e está vinculado à Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (CMPM) em parceria com a Ação Social Arquidiocesana (ASA).

“A violência contra as a mulheres acontece em todas as fases da vida, sendo um fenômeno social e cultural, que ainda é cercado pelo silêncio e medo. A maioria dessas mulheres, por vergonha, medo, dependência financeira ou emocional, sofrem sozinhas e caladas. Precisamos fortalecê-las para que denuncie”, ressalta a Coordenadora da CMPM, Francisca Lima.

Ela explica que o objetivo do Centro é promover a ruptura da situação de violência e a construção da cidadania por meio de ações de atendimento psicológico, social, jurídico e de orientação e informação à mulher em situação de violência. “Vamos proporcionar o atendimento e o acolhimento necessário à superação da situação de violência ocorrida, contribuindo para o fortalecimento da mulher e o resgate da sua cidadania”.

O espaço irá exercer também o papel de articulador das instituições e serviços governamentais e não governamentais que integram a Rede de atendimento, a fim de fomentar ações intersetoriais e desenvolver estratégias de integração entre os serviços, objetivando o melhor atendimento.

Recente pesquisa realizada pela Corregedoria Geral de Justiça do Poder Judiciário do Estado do Piauí em 2012 aponta que o perfil da maioria das vítimas de violência encontra-se na faixa etária economicamente produtiva, entre 20 a 39 anos. A maioria é solteira (41%), com ocupações não remuneradas (do lar ou estudantes), ou com profissões/ocupações precarizadas (doméstica, auxiliar de serviços gerais, vendedora, aposentada).

Quem foi Esperança Garcia          

Esperança Garcia viveu na região de Oeiras na fazenda de Algodões, situada a cerca de 300 km de Teresina. Sua coragem se expressa através de uma carta escrita por ela e encaminhada ao Governador do Piauí, Gonçalo Lourenço Botelho de Castro, denunciando os maus tratos de que era vítima, juntamente com seus filhos e companheiras.

A carta caracterizou-se como um marco de resistência negra, pela sua coragem e ousadia em denunciar os maus tratos sofridos, mesmo sendo escrava, em uma sociedade que, à época, era formada em sua maioria por analfabetos. Esse documento serviu de inspiração para diversas manifestações contemporâneas como o grupo de mulheres que trabalham pela cidadania da mulher negra piauiense, e recebe o nome de Esperança Garcia, assim como a maternidade de Nazaré do Piauí. Em 06 de setembro, data em que a carta foi escrita, é comemorado o dia estadual da consciência negra no Piauí, através de um projeto de lei do então Deputado Estadual Olavo Rebelo em 1998.

Fonte: Ascom