Prefeitura de Teresina realiza amanhã (28) Dia D contra o HPV na UBS do Porto Alegre

A atividade, em alusão ao mês da mulher, ocorrerá na Unidade Básica de Saúde (UBS) do local, das 8h às 15h.

Prefeitura realiza amanhã (28) Dia D contra o HPV na UBS do Porto Alegre

Com o objetivo de reforçar a vacinação contra papilomavírus humano (HPV) a Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Saúde (FMS), realiza neste sábado (28), o Dia D de Mobilização contra o HPV. A atividade acontece na Unidade Básica de Saúde do Porto Alegre, zona Sul, de 8h às 17h.

A atividade tem por objetivo fazer uma busca das adolescentes que ainda não foram vacinadas. “Fizemos uma divulgação no Porto Alegre e bairros vizinhos para sensibilizarmos os pais a levarem suas filhas para vacinar contra o HPV. A estratégia da FMS tem sido levar a vacina para as escolas públicas estaduais, municipais e também privadas, já que o foco são as adolescentes. As vacinas ficam disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde e nós da FMS levamos até as escolas. Mas, além das escolas, a vacina HPV quadrivalente está disponível nas 104 salas de vacinação de Teresina”, explica Luciano Nunes, explica Fátima Souza, diretora da Regional Sul de Saúde da FMS.

A diretora explica ainda que antes da vacina chegar às escolas é feita uma sensibilização sobre a importância da vacinação para as adolescentes. “Enviamos informes para as escolas sobre o que é o HPV, da necessidade das adolescentes serem vacinadas e de levarem o cartão de vacina para a escola, bem como entregamos um Termo de Recusa para que os pais que não aceitarem a vacinação das filhas assinem e se responsabilizem pela não imunização”, afirma.

Este ano, a oferta da vacina é para as meninas na faixa etária de nove a 11 anos de idade. A vacina também será ofertada para as mulheres de 9 a 26 anos de idade vivendo com HIV. Esta população foi incorporada como prioritária, considerando que as complicações decorrentes do HPV ocorrem com mais frequência em pacientes portadores de HIV e da síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS).

“Estudos mostram que a melhor ocasião para vacinação contra o HPV é efetivamente na faixa etária de 9 a 13 anos, antes do início da atividade sexual. Além disso, é nessa época da vida que a vacinação proporciona níveis de anticorpos muito mais altos que a imunidade natural produzida pela infecção do HPV”, explica Amariles Borba, diretora de Vigilância em Saúde da FMS.

A vacina é manipulada em três doses. Devem ser vacinadas as adolescentes de até 13 anos, 11 meses e 29 dias que ainda não tenham recebido a primeira dose. As meninas com 14 anos de idade que iniciaram o esquema vacinal deverão receber a segunda dose e seguir o esquema vacinal recomendado. O mesmo procedimento deverá ser realizado com mulheres vivendo com HIV que completaram 27 anos, que já tinha iniciado o esquema vacinal aos 26 anos. Mulheres de nove a 26 anos de idade vivendo com HIV que já tenham tomado duas doses da vacina, tomar a terceira dose respeitando o prazo de 120 dias entre a segunda e terceira dose.

A vacinação contra HPV no Brasil visa prevenir o câncer do colo do útero, bem como contribuir na redução da incidência e da mortalidade por esta enfermidade. A meta é vacinar 80% da população alvo (4,94 milhões), o que representa 3,95 milhões de meninas na faixa etária de 09 a 11 a anos de idade em 2015. A principal forma de transmissão do HPV é por via sexual, que inclui contato oralgenital, genital-genital ou mesmo manual-genital. Mas também pode ser transmitido, durante o parto ou, ainda, através de instrumentos ginecológicos não esterilizados.

Bairros Angelim e Vila Irmã Dulce recebem amanhã (28) mutirão de hanseníase

As Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos bairros Angelim e Vila Irmã Dulce receberão, durante todo este sábado (28), as equipes da Fundação Municipal de Saúde (FMS). Eles estarão promovendo um mutirão de atendimento para detecção de hanseníase.

A atividade ocorre das 8h às 17h e contará com médicos e enfermeiros para fazer o exame de manchas suspeitas. “A demanda é livre, sem precisar de marcação prévia. Basta chegar ao local e se identificar para ser encaminhado para o atendimento”, explica o coordenador do Programa de Hanseníase da FMS, Kelsen Eulálio.

O objetivo é identificar novos casos e iniciar o tratamento o mais rápido possível. “O diagnóstico precoce da hanseníase e o seu tratamento adequado evitam a evolução da doença e consequentemente impedem a instalação de incapacidades físicas e deformidades que são responsáveis pelo preconceito e discriminação às pessoas afetadas pela doença”, explica Kelsen Eulálio.

Um caso é considerado suspeito se a pessoa apresenta uma ou mais das seguintes características: manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas na pele, com alteração de sensibilidade, nódulos (caroços doloridos), edema (inchaço) e/ou acometimento de nervos periféricos (espessamento e/ou dor).

Em 2014, 417 casos novos da doença foram registrados em Teresina. A capital tem observado uma redução no número de casos novos diagnosticados ao longo dos últimos anos, isso porque ao iniciar o tratamento a pessoa para de transmitir a doença quase que imediatamente. “A hanseníase tem cura e o tratamento é gratuito. Por isso, procure a unidade de saúde assim que perceber alguma mancha suspeita”, conclui Kelsen Eulálio.

UBS da Santa Maria da Codipi promove dia de serviços para as mulheres

Neste sábado (28) a Equipe da Estratégia Saúde da Famíia (ESF) que atua na região da Santa Maria da Codipi promove um dia de serviços voltados ao público feminino. A atividade, em alusão ao mês da mulher, ocorrerá na Unidade Básica de Saúde (UBS) do local, das 8h às 15h.

Serão ofertados diversos serviços de saúde como coleta de material para exames de citologia oncológica, vacinação, consulta com nutricionista, psicólogo, dentista, testes rápidos de HIV e sífilis, aferição de pressão, entre outros. Além disso, as participantes poderão ter acesso a consultoria jurídica, orientação assistencial e de planejamento orçamentário doméstico. Haverá ainda uma exposição de trabalhos artísticos de autoria das mulheres da comunidade e orientações sobre dengue, chikungunya e outras doenças.

“O objetivo da ação social é festejar as mulheres e, pelo fruto de tais esforços, qualificar e facilitar os cuidados básicos pertinentes”, afirma Adriana Valadares, diretora Regional de Saúde Centro/Norte, da Fundação Municipal de Saúde (FMS). “Além disso, queremos reforçar os laços de cumplicidade e harmonia entre a população e o serviço de saúde, para que possamos aprimorar nosso trabalho”, completa.

 

Fonte: Assessoria