Prefeitura inicia construção da nova Rodoviária dos Pobres em 30 dias, diz SDU

Prefeitura inicia construção da nova Rodoviária dos Pobres em 30 dias, diz SDU

Prédio será totalmente adequado às necessidades dos teresinenses.

A obra de construção da nova Rodoviária dos Pobres deve ser iniciada num prazo de 30 dias. A informação foi confirmada na manhã desta quarta-feira (22) pelo superintendente da SDU Sul, Edson Melo.

O novo terminal de embarque e desembarque de passageiros da zona Sul de Teresina, que deve se chamar Rodoviária Alternativa, será construída com capital privado por um empresário que é proprietário do terreno onde funcionarão as novas instalações da rodoviária, ao lado da atual rodoviária dos pobres, às margens da BR 316. "A Prefeitura não terá nenhum custo com a obra, apenas com o aluguel do imóvel mediante contrato a longo prazo, garantindo os direitos dos atuais permissionários. Será uma espécie de Parceria Público-Privada?, esclarece Edson Melo.

O superintendente afirma ainda que está apenas aguardando um parecer da Procuradoria Geral do Município (PGM) para autorizar o início da construção. "Este parecer tem a finalidade de dar uma segurança jurídica para que nós façamos esta parceria. Acredito que na próxima semana já estarei com este documento em mãos, para que possamos finalmente autorizar o início daquela obra. O proprietário do terreno está apenas aguardando eu receber este parecer. A previsão é que a obra dure em torno de quatro a seis meses, de forma que até a metade do ano a Rodoviária já estará inaugurada e em pleno funcionamento", assegura.

O superintendente executivo, Paulo Roberto, afirma que a Prefeitura já apresentou o projeto das novas instalações. "Estamos com o projeto pronto e as negociações quanto ao terreno foram acertadas. O prédio será totalmente adequado às necessidades dos teresinenses?, afirmou.

Segundo a arquiteta Alcília Afonso, mais conhecida como Kaki Afonso, esta nova proposta traz inovações e busca dar comodidade às pessoas que circularem pelo local, além de gerar emprego e renda. "No projeto estão previstos 20 stands de serviços comerciais diversos e lanches, além de praça de alimentação, abrigo para espera dos ônibus, posto policial, administração e bateria sanitária completa" explicou a arquiteta.

Fonte: PMT