Prefeitura faz acordo para criação de centro de zoonoses na UFPI

Prefeitura faz acordo para criação de centro de zoonoses na UFPI

As instalações da gerência de zoonoses de Teresina não está em condições para suprir a demanda.

O Ministério Público do Estado do Piauí, Núcleo de Cidadania e Defesa do Meio Ambiente baixou termo de ajustamento de conduta que foi assinado em 21 de janeiro de 2013 pela promotora Maria Carmém Cavalcante, da 30 Promotoria.

A recomendação é feita ao prefeito municipal e ao gerente de zoonoses de Teresina, para que firmem convênio com a Universidade Federal do Piauí (UFPI). A promotora afirma que um indicativo de parceria já foi firmado na gestão passada para instalação de um centro de zoonoses nas dependências da universidade.

Para a promotora, as instalações da gerência de zoonoses de Teresina não está em condições para suprir a demanda e que o sacrifício é a única forma de controle da população de cães e gatos adotada pelo município.

No termo de ajustamento de conduta a promotora afirma que cabe ao poder público proteger a fauna e condena a prática que submeta os animais a crueldade. Diz ainda que o sacrifício, além de ineficiente é uma forma onerosa ao estado e que o método mais eficiente é a esterilização para o controle das zoonoses.

Em ofício de 19 de fevereiro a Fundação Municipal de Saúde diz que não há um convênio oficializado entre o órgão e a UFPI para a construção do novo centro de zoonoses. Mas reconhece que existe a possibilidade de a universidade ceder o terreno no Centro de Ciências Agrárias para instalação do novo centro.

Fonte: Julimar Silva