Prêmio Piauí Inclusão Social: ONG combate corrupção e defende meio ambiente

Prêmio Piauí Inclusão Social: ONG combate corrupção e defende meio ambiente

Fazer o monitoramento da aplicação dos recursos públicos é a missão que a Ong Olho Aberto se propôs a realizar

Investigar e combater os casos de corrupção no Piauí e cuidar de perto das questões ambientais do Estado. Foi com esse propósito que há pouco tempo um grupo de profissionais liberais criou a ONG Olho Aberto. Na área do combate à corrupção, o foco principal da organização não-governamental são os assuntos relacionados a licitações, verbas e o destino destas.

Com a intenção de ?fazer a diferença?, a Olho Aberto inicia o seu trabalho no Piauí com o compromisso de investigar, desvendar e descobrir como está sendo feita a aplicação do dinheiro público, bem como sua distribuição e como está sendo tratado o meio ambiente.

?Nós iniciamos o nosso trabalho com o monitoramento de uma licitação, por exemplo, ver se o edital está de acordo com a lei, se for uma licitação muito importante, nós acompanhamos de perto, se tiver algo irregular, entraremos com as medidas cabíveis para que seja adequado à lei. Nós estamos vigilantes também aos contratos administrativos e ainda à licitação dos ônibus?, disse o presidente da ONG, Danilo Maracaba.

ONG pretende focar ações em denúncias

O trabalho da ONG é investigativo e voltado para a fiscalização da prestação dos serviços públicos, enfatizando áreas que devem ser tratadas como prioridades pelo governo, como educação e saúde, além de obras que envolvam uma parcela considerável de pessoas e que possam causar significativos danos ao meio ambiente.

Genuinamente piauiense, a Olho Aberto terá foco em denúncias feitas pela própria população, que terá voz e vez nas pautas investigadas pela ONG. É um trabalho integrado entre a ONG e a sociedade, trabalho este que visa informar a sociedade e fortalecer a cidadania. O trabalho da ONG será norteado pelas denúncias feitas pela população. As denúncias serão investigadas pela ONG por meio da sua equipe jurídica que fará, quando necessário, representação legal no Ministério Público.

ONG investiga poluição no rio Poti

A investigação da poluição do rio Poti é um dos primeiros trabalhos que está sendo desenvolvido pela ONG Olho Aberto. A organização investiga quais as causas da poluição do rio. Já foram feitas coletas de amostra da água em vários pontos do rio e um laboratório faz a análise da água.

?Essa análise vai nos dizer em que ponto o rio é mais poluído, a origem dessa poluição, se é viável a utilização da água e, o mais importante, vai nos mostrar quem é o responsável por essa poluição, se os esgotos residenciais, se resíduos hospitalares, dentre outros. Depois que tivermos essas respostas, nós vamos enviar ao Ministério Público do Estado para que sejam tomadas as providências cabíveis?, disse o presidente da Olho Aberto.

A poluição do rio Poti vem sendo alvo de preocupações de ambientalistas e da população de forma geral.

Recentemente a poluição convocou representantes da Agespisa, Ibama, Secretarias Estadual e Municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos e Agência Nacional de Águas (ANA) para uma audiência no dia 17 de outubro. O objetivo da convocação é discutir uma solicitação feita pelo Ministério Público Federal de retirada imediata dos aguapés do rio Poti, até que as obras de esgotamento sanitário de Teresina sejam totalmente concluídas.

ONG quer orientar escolas públicas sobre meio ambiente

Dentre as ações desenvolvidas pela Olho Aberto sobre meio ambiente, está uma série de palestras que serão realizadas em algumas escolas públicas da cidade. O objetivo é levar conhecimentos aos estudantes acerca da preservação do meio ambiente e torná-los assim multiplicadores na sua família.

?Nessas palestras nós queremos mostrar a importância de proteger o meio ambiente e a importância disso e queremos fazer isso com alunos, já que eles são o futuro do nosso país, além disso, nós pretendemos que eles se tornem multiplicadores em casa e passem para seus pais e irmãos as dicas que irão receber nas nossas palestras?, disse Danilo Maracaba. Nessa primeira etapa, cinco escolas serão beneficiadas com o projeto da ONG.

A primeira escola a receber a palestra foi a Escola Municipal Simões Filho, no bairro Cristo Rei, zona Sul de Teresina. Para a diretora da escola, Maria de Lourdes Dias, iniciativas como essa fazem a diferença e deveriam ser mais comuns. ?Tudo que chega à escola com esse tema nós vemos com bons olhos, pois só reforça nossa vontade de mudar.

O meio ambiente vem sendo muito maltratado pela ação humana e isso precisa mudar?, afirmou.

O palestrante dessa primeira palestra foi o ambientalista Deocleciano Guedes. Ele levou para os estudantes o tema Sustentabilidade e o abordou de forma didática, para que o assunto fosse bem compreendido. ?Discutimos como tratar o meio ambiente, mostrando qual o papel de cada um para a preservação ambiental?, afirmou. Além da palestra, os estudantes receberam mudas de plantas.

Como denunciar

As denúncias podem ser feitas pelo site http://www.olhoaberto.org.br e por e-mail: [email protected] A denúncia recebida através deste espaço será analisada e investigada, os resultados obtidos serão divulgados no site da ONG Olho Aberto.

A publicação das denúncias no site serve como estímulo para que um maior número de pessoas preste informações.

O projeto está alicerçado na utilização da mídia como mobilizadora da população. Através desta ferramenta, os cidadãos poderão participar de maneira segura da luta contra a corrupção e contra o desrespeito ao meio natural, com a garantia do anonimato dos denunciantes. Para a ONG Olho Aberto, o que importa é a denúncia, e não o denunciante.

Fonte: Pollyana Carvalho