Preocupados, atletas do Vasco vão ao hospital apoiar Gomes

Preocupados, atletas do Vasco vão ao hospital apoiar Gomes

Auxiliar de Ricardo Gomes convoca a torcida para a partida contra o Ceará na quarta-feira

Auxiliar técnico e braço direito de Ricardo Gomes, Cristóvão Borges chegou no início da tarde desta segunda-feira ao Hospital Pasteur, na Zona Norte do Rio de Janeiro, para prestar solidariedade aos familiares do treinador, que sofreu um AVC (acidente vascular cerebral) durante o clássico Flamengo x Vasco. Visivelmente abatido, Cristóvão vai assumir o comando cruz-maltino enquanto Gomes estiver internado. Ele repetiu o discurso do presidente Roberto Dinamite ao dizer que o melhor a se fazer é entrar em campo na próxima quarta-feira, contra o Ceará, em São Januário, e buscar uma vitória.

O clima no Vasco, como não poderia deixar de ser, não é dos melhores. Cristóvão Borges admitiu que os jogadores estão abalados, mas ressaltou que esse é o momento de a equipe mostrar superação diante dos fatos.

- Os jogadores estavam assustados com tudo. Mas o doutor Fernando Mattar (médico do clube) comandou uma palestra explicando para todos a situação. Foi o que falei, vamos demonstrar mais uma vez nosso poder de superação.

Os jogadores estavam assustados com tudo. Mas o doutor Fernando Mattar (médico do clube) comandou uma palestra explicando para todos a situação"

Cristóvão Borges

O auxiliar chegou ao hospital acompanhado por Felipe. Pela terceira vez, o apoiador esteve no hospital para confortar a família de Ricardo Gomes e disse que o grupo vai dar a volta por cima.

- Vamos procurar reverter essa situação com motivação e continuar mantendo o trabalho, que está bem entregue nas mãos do Cristóvão. É claro que ficamos chateados com a situação, mas vamos procurar reverter - disse.

Além de Felipe, outros jogadores foram ao hospital. Por volta das 14h, Juninho chegou ao local, mas não concedeu entrevista. Além dele, Fellipe Bastos, Alecsandro, Renato Silva e o auxiliar Jorge Luiz visitaram a família de Ricardo Gomes no início da tarde desta segunda-feira.

Cristóvão Borges pediu o apoio da torcida e revelou que as mensagens de apoio que são mandadas a todo instante pelos vascaínos por meio das redes sociais trazem um conforto especial para os familiares e uma energia a mais para os jogadores. Ele espera ver São Januário lotado na partida contra o Ceará, para que o Vasco consiga um pouco de alegria em momento tão difícil.

- É muito desagradável assumir o comando do time nestas circunstâncias, mas temos de levar o trabalho do Ricardo adiante. Tem sido muito difícil para todos. Queremos que ele se recupere logo e volte ao nosso convívio. Mas nosso grupo é forte e já deu mostras de superação em diversos momentos nesta temporada. Temos de buscar isso novamente, e o apoio da torcida será fundamental. Vemos a campanha que vem sendo feita na internet e ficamos extremamente felizes. Estivemos juntos desde o nosso primeiro jogo e na quarta-feira não pode e não vai ser diferente - afirmou.

Amigo de longa data, Cristóvão não estava trabalhando na comissão de Ricardo Gomes quando ele sofreu o primeiro AVC (acidente vascular cerebral) no São Paulo. No entanto, manteve contato e lembrou que o treinador realizou todos os exames possíveis e necessários que não constataram nenhuma lesão grave.

O auxiliar também acredita que o caso atual não tem qualquer relação com o estresse causado pelo trabalho no comando do Vasco. Cristóvão recordou que, no intervalo da partida, Ricardo Gomes comandou normalmente a palestra para corrigir o posicionamento da equipe.

- Ele levava uma vida normal. Isso foi uma surpresa desagradável para todos. Em São Paulo ele realizou inúmeros exames e aqui também nunca tinha tido qualquer problema. O Ricardo comandou grandes clubes em sua carreira e estava acostumado com a pressão - explicou Cristóvão.

Os jogadores que não foram fizeram questão de prestar solidariedade por telefone ou via rede social.

- Sabemos que o estado é grave e complicado, mas o Ricardo Gomes tem um coração gigante. Peço, do fundo da minha alma, que as pessoas rezem, orem, façam prece e que emitam muitos pensamentos positivos, pois a fé está acima de qualquer tratamento - disse Dedé através de sua assessoria de imprensa.

O volante Romulo também comentou o caso.

- Ele é como um pai para muitos aqui no Vasco. O Ricardo é o tipo de pessoa que consegue conquistar o grupo todo e isso é uma tarefa difícil para qualquer treinador. É difícil demais aceitar.

Fonte: Globo