Presidente francês considera ridículos boatos de infidelidade

Presidente francês considera ridículos boatos de infidelidade

Carla Bruni advertiu que 99% das coisas que se escrevem sobre ela são erradas

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, considerou hoje \"ridículos\" os boatos que circularam na internet e na imprensa internacional sobre seus supostos casos de infidelidade e os de sua esposa, a cantora e modelo Carla Bruni.

Em entrevista à imprensa em Londres ao lado do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, Sarkozy minimizou a importância dos boatos e lamentou que um jornalista francês utilizasse a palavra na entrevista coletiva para abordar o tema.

\"Adoro o Reino Unido. Não me faça morder a língua\", manifestou o presidente francês, que voltou a se dirigir ao repórter para acrescentar: \"você deve saber muito pouco sobre o que o presidente da República tem que fazer realmente durante o dia todo\".

\"Claro, não tenho tempo para me ocupar desses rumores ridículos, nem sequer uma fração de segundo. Nem mesmo sei por que você usa a palavra para fazer uma pergunta tão idiota\", disse o chefe do Estado francês.

Brown apoiou o colega e comentou que \"no que se refere à imprensa britânica, pude dizer a Nicolas que não acredito em tudo o que leio nela\".

As declarações de Sarkozy sucedem às de Carla Bruni. A primeira-dama concedeu uma entrevista à emissora \"Sky News\", divulgada na quarta-feira, na qual se mostrou convencida de que seu marido nunca a enganaria com um caso extra-conjugal.

Carla Bruni advertiu que \"99% das coisas\" que se escrevem sobre ela \"são erradas\", como quando se disse que ela estava preparando uma colaboração musical com o cantor Lenny Kravitz.

Além disso, ela disse estar vivendo uma doce história de amor: \"o autêntico conto de fadas é a sorte, a incrível sorte que tive de me apaixonar aos 40 anos e encontrar alguém com quem casar\". EFE

Fonte: g1, www.g1.com.br