Presídios de SP vão fazer triagem em visitas para evitar contágio da nova gripe

Orientação é para que pessoas com sintomas da doença sejam barradas

. Pastoral Carcerária vai identificar grupos de risco nas penitenciárias. Os presídios de São Paulo começaram a tomar providências para evitar o contágio dos detentos com a nova gripe. A orientação da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) em relação às visitas é barrar qualquer pessoa suspeita ou com sintomas de gripe nas entradas das unidades. A medida é para evitar que o vírus Influenza A (H1N1) chegue aos presídios. Até esta semana, a SAP não havia registrado nenhum caso do vírus da nova gripe entre os detentos do estado.

Entretanto, caso haja alguma suspeita, as unidades foram orientadas a retirar imediatamente o preso do local e removê-lo para uma casa de saúde. Caso seja confirmada a infecção, ele deverá permanecer internado. Os presos também receberam as recomendações do Ministério da Saúde para evitar a contaminação, como lavar as mãos e cobrir o rosto ao tossir e espirrar. Na região de São José do Rio Preto, a 438 km de São Paulo, o Ministério Público já vistoriou as unidades.

Nas próximas semanas, o serviço de assistência à saúde dos presídios do estado vai realizar uma força-tarefa durante as visitas aos presos. A preocupação com a gripe dentro dos presídios tem motivo. Quase sempre as unidades abrigam mais presos do que a capacidade, o que torna o ambiente propício para a contaminação.

O Centro de Detenção Provisória de São José do Rio Preto, que tem capacidade para 778 presos, abriga atualmente 1.059. A Diocesana Pastoral Carcerária já começou um trabalho de identificação de grupo de risco dentro das penitenciárias da região. Mortes do estado De acordo com a última atualização da Secretaria de Estado da Saúde, divulgada na sexta-feira (31), 37 pessoas morreram em decorrência da nova gripe em São Paulo.

Também na sexta, além do anúncio do governo do estado, as prefeituras de Campinas, Jacareí e São Caetano do Sul divulgaram novas mortes. Em Campinas, foi registrada a quarta morte da cidade, uma adolescente que estava grávida de gêmeos. Os bebês nasceram em 14 de julho, passam bem e já receberam alta.

Fonte: g1, www.g1.com.br