Preso morre durante rebelião na Penitenciária Irmão Guido

A Penitenciária Irmão Guido tem cerca de 480 presos e pavilhão onde o preso foi morto ficam 115 detentos.

Repórter: Efrém Ribeiro

Atualizada às 17h15

Foi confirmada a morte do detento Cleiton Ferreira da Silva na Penitenciária Irmão Guido em Teresina, que fica na BR-316. Eles estava preso há três anos por tráfico de drogas.

Cleiton passou mal devido uma úlcera e não foi atendido no momento, o que gerou revolta dos outros presos iniciando assim uma rebelião.

Segundo a dona de casa e esposa de Cleiton Ferreira da Silva, a senhora Amanda Rodrigues dos Santos Silva, seu marido começou a passar mal por volta das 11h de uma crise de úlcera e até as 14h o SAMU não havia sido acionado.

Atulaizada às 15h15

 

A Coronel Júlia Beatriz saiu da penitenciária Irmão Guido para informar que a rebelião foi controlada e que não não dá pra dizer se o detento Cleiton Ferreira da Silva morreu ou não porque estava passando muito mal, devido crise de úlcera, esperando a chegada do SAMU desde às 11h, o que acaba de ocorrer.

Ela declarou que a rebelião começou com os presos inconformados com a falta de atendimento médico a Cleiton Freire da Silva.

“Os presos inconformados com o não atendimento do detento que estava desmaiado e desde 11h esperando atendimento médico se rebelaram na hora em que foi aberto as celas para retirar o detento. Mas a polícia chegou, a tropa de choque da Polícia Militar foi chamada e foi controlada a rebelião”, afirmou a Coronel Júlia Beatriz.

Segundo ela, vai ser aberto uma sindicância para apurar de quem era o celular que estava dentro da penitenciária e que foi usado para filmar o preso esperando atendimento médico e a revolta dos outros detentos e foi colocado no aplicativo WhatsApp.

Atualizada às 13h:44

Na tarde desta segunda-feira (05) um preso foi encontrado morto na Penitenciária Irmão Guido e presos estão revoltados. O detento seria do Pavilhão D e teria morrido devido uma crise de Úlcera.

O agente penitencário, Paulo Roberto, que entrou na penitenciária confirmou a morte do preso.

A Penitenciária Irmão Guido tem cerca de 480 presos e pavilhão onde o preso foi morto ficam 115 detentos.

Cerca de 40 mulheres, mães e companheiras de presos saíram correndo do presídio porque a polícia começou a disparar tiros dentro da penitenciária.

A dona de casa Amanda Rodrigues dos Santos Silva saiu chorando de dentro do presídio porque seu marido, Cleiton Ferreira da Silva,está sofrendo desde 11h de uma crise úlcera e até agora não foi chamado o SAMU (Serviço Móvel de Atendimento e Urgência).

“Chame por favor os direitos humanos, chame o SAMU porque meu marido está sofrendo com muitas dores, vai morrer aí dentro e o diretor não chama o atendimento”, declarou Amanda acrescentando que um advogado que está dentro da penitenciária foi agredido com um murro no peito.

A dona de casa Cátia Maria está chorando muito e querendo saber como está o estado de saúde de seu filho Marlon Geison Lopes Barros que está há 9 meses presos na Irmão Guido por um furto de um celular.

“Ninguém sabe de nada, só se ouve muitos tiros”, declarou Catia Maria.

Estão no local os carros da RONE (Rondas Ostensivas de Natureza Especial) e do Batalhão da Polícia Militar.

A Diretora de Inteligência da Secretaria Estadual de Justiça, Júlia Beatriz, disse que está entrando na penitenciária para saber a real situação dentro do presídio para relatar para imprensa.

Essa é terceira morte ocorrida somente nesses primeiros dias de 2015.

No dia 01 de janeiro foi assassinado com 20 perfurações, um detento da Casa de Custódia de Teresina.

No dia 02 de janeiro foi assassinado enforcado um detento da penitenciária mista de Paranaíba (345 km de Teresina).
















Fonte: Efrém Ribeiro