Lei Seca: PRF flagra 509 motoristas no Piauí embriagados

Lei Seca: PRF flagra 509 motoristas no Piauí embriagados

A Lei Seca não está assustando os motoristas como deveria.

Álcool e direção é uma combinação que pode trazer consequências irreversíveis, tanto ao infrator como a quem está perto dele. Mesmo sabendo disso, o número de pessoas que dirigem embriagadas ainda é muito alto. Neste ano, até o mês de setembro, a Polícia Rodoviária Federal já flagrou 509 pessoas dirigindo sob efeito de álcool. O número já está bem próximo do registrado durante todo o ano de 2011, que foi de 524.

Das 509 pessoas flagradas dirigindo após ingerir álcool, neste ano, 198 foram presas. Isso mostra uma média mensal de 60 flagrantes e 22 prisões. Já no ano passado, a média foi de 44 flagrantes e 19 pessoas presas.

O aumento desse número, segundo o coordenador do Núcleo de Comunicação da PRF, inspetor Raimundo Rameiro, deve-se à intensificação do trabalho da PRF no que se refere à fiscalização a esse tipo de motoristas. ?Nós temos feito blitze em locais específicos, de acordo com um planejamento?, disse.

O inspetor explica que, para os motoristas infratores, podem ser aplicados dois tipos de penalidades, a administrativa, quando o motorista apresenta até 0,29 miligramas de álcool por litro de ar expelido, ou seja, quando ele ingeriu duas latas de cerveja ou uma dose de uísque. O outro tipo de penalidade é a criminal, quando o motorista bebeu três latas de cerveja ou duas doses de uísque.

No caso da penalidade administrativa, o infrator pagará uma multa no valor de R$ 957, retenção do veículo até que se apresente um condutor sóbrio para conduzi-lo e recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação.

No caso de o motorista ter ultrapassado as duas latas de cerveja ou uma dose de uísque, ele será levado ao Distrito Policial, feito inquérito e o caso será encaminhado ao Ministério Público do Estado. O juiz define a sentença e aplica a penalidade.

?Como esse é um crime afiançável, o infrator poderá pagar o valor de um salário mínimo e esperar o resultado do processo em liberdade?, explicou Rameiro.

O inspetor afirma que a intensificação dos trabalhos da PRF no sentido de coibir a combinação álcool e direção tem refletido na queda do número de acidentes com vítimas fatais no Estado.

Em junho esse número foi de 25 pessoas mortas em acidentes de trânsito, nas estradas federais que cortam o Estado, em julho ele caiu para 16 e em agosto foram registradas apenas 11 mortes.

?Nós sabemos que os acidentes mais graves acontecem cm pessoas que dirigem sob efeito de álcool e os números provam que o nosso trabalho está tendo resultado?, argumentou.

Fonte: Pollyanna Carvalho