Problemas com a Agespisa na Vila Irmã Dulce são alvos de Audiência Pública

Problemas com a Agespisa na Vila Irmã Dulce são alvos de Audiência Pública

Dentre os assuntos que serão tratados está o pedido de parcelamento dos débitos dos moradores

Uma audiência acontecerá nesta terça-feira, 03, em Teresina para resolver os problemas da comunidade da Vila Irmã Dulce, zona sul da capital, relacionados à Agespisa. Dentre os assuntos que serão tratados está o pedido de parcelamento dos débitos dos moradores junto à empresa, e também a redução dos juros diários que estão sendo cobrados por ela.

A comunidade, quando não está sem água, o líquido que sai das torneiras tem forte odor e possui coloração estranha. ?Pela manhã, você pode cheirar a água da torneira que é só lama?, disse um morador.

?O que nós estamos querendo com essa audiência é sensibilizar a diretoria da Agespisa e o governo do estado quanto à condição financeira dos nossos moradores, da nossa comunidade. O que está acontecendo é tudo fora de lei. Existe uma cobrança abusiva de juros em cima de juros?, disse líder da comunidade, conhecida por neguinha. Segundo ela os nomes dos consumidores já estão negativados junto ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

?Nós não temos um produto de qualidade. No lugar que chega (a água), chega pouco. Na maioria dos lugares da Vila Irmã Dulce a água só chega até as torneiras por volta da meia-noite, é quando a gente acumula água em tanques e em baldes para poder usar; mas as contas chegam, e chegam com valores acima de R$ 170,00?, disse Neguinha.

Procurado pela comunidade para solucionar o problema, o deputado Cícero Magalhães considera que o procedimento certo seria a empresa fazer uma medição dos dias do mês que tiverem água para pagamento apenas desses dias. ?Naqueles dias que não tiverem água, vamos isentar os moradores! Porque não tem como (a empresa) cobrar por um produto que é uma obrigação da Agespisa, pois ela não cumpre seus deveres e ainda impõe à sociedade o corte do uso, além de negativar o nome do consumidor no SPC.

Fonte: Denison Duarte